23 de dezembro de 2016

Ontem, Dom Leomar celebrou a Missa de Natal no Galpão de Reciclagem Santa Teresinha, celebrando o dom da vida com aqueles que fazem do seu trabalho um mundo mais vivo e humano.
Assim como a vida de Cristo, os catadores demonstram na prática o espírito de cooperação, criam seus símbolos, fazem sua partilha, são desafiados todos os dias a superar obstáculos e nos dão o exemplo de como devemos nos aproximar de Cristo: pelo amor ao próximo e com respeito ao lugar onde vivemos.
Que o símbolo da vida do Natal nos contagie e nos convide a nos desacomodar, a superar desafios e construir uma sociedade mais justa e solidária.

Somos todos catadores. 



Economia Solidária e Sustentabilidade dois conceitos que andam lado a lado. No dia 20 de dezembro, AVESOL e Instituto Renner deram início ao mais novo projeto “Gerando Economia Solidária com Upcycling”, uma estratégia de desenvolvimento econômico solidário com foco na sustentabilidade. O projeto conta com a consultoria técnica da Agustina Comas fundadora da marca COMAS, voltada à produção de peças femininas que usam como matéria-prima camisas masculinas, sobras da indústria têxtil e de confecção. 
Muitas são as etapas que constitui a cadeia têxtil, do plantio ao produto final, além de um processo altamente agressivo em sua fase inicial, a interface química de tratamento a fibra segue de forma agressiva ao meio ambiente. Após o processo milhares de toneladas ao ano irão ganhar o mesmo destino, os lixões contaminando solo, lençóis freáticos e produzindo gases nocivos à saúde.

O objetivo do projeto é possibilitar a capacitação de mulheres, integrantes de 03 empreendimentos econômicos solidários da Rede Ideia, em upcypling, qualificando a produção e gerando renda a partir da confecção de roupas com material proveniente da reutilização.








21 de dezembro de 2016

"Após um período de 4 meses como voluntário no Hospital São Lucas da PUCRS, através da Associação do Voluntariado e da Solidariedade – AVESOL, surgiu-me a possibilidade de estender minha prática voluntária para além do território brasileiro, em solo alemão. A AVESOL, juntamente com a ICYE Brasil (International Cultural Youth Exchange), tornará possível um sonho de longa data, conhecer a terra de onde partiram meus ancestrais. No período de 10 meses, que iniciará no dia 26 de janeiro de 2017 e findará no dia 25 de novembro do mesmo ano, estarei dedicando-me inteiramente, como voluntario, na organização de um evento, World Reformation Exhibition (Exibição Mundial da Reforma), dentre muitos, que celebrará e comemorará os 500 anos da Reforma Protestante em Wittenberg, Alemanha. Nesse período, durante o inverno, que contempla os primeiros meses da minha ida, estarei engajado no planejamento e preparação da World Reformation Exhibition, e durante o verão, entre os meses de maio e setembro, na execução do que foi planejado durante o inverno, ou seja, o auge do trabalho voluntário que lá realizarei. As expectativas para essa experiência única em minha vida são muitas, pois não somente aprenderei o alemão e aperfeiçoarei o meu inglês, mas principalmente ampliarei meus horizontes de vida ao entrar em contato com outra cultura, em especial no evento internacional que trabalharei. Por isso, sou eternamente grato pela AVESOL e pela ICYE Brasil que tornaram esse sonho possível".


Daniel Felipe Jacobi 
    

13 de dezembro de 2016

No dia 09/12/2016, na Casa da Juventude Marista, mais de 118 pessoas representantes dos Empreendimentos Econômicos Solidários que compõem a Rede Ideia - Cultivando o Amanhã proporcionaram um grande debate indicando iniciativas necessárias para consolidação da política pública de fomento à Economia Solidária no país. O encontro contou com a presença da Deputada Federal Maria do Rosário, relatora do PL 4685, Lei da Economia Solidária, com Deputado Estadual Zé Nunes, que coordena a Frente Parlamentar Mista de Economia Solidária no Estado, e a Vereadora Sofia Cavedon.
A Rede Ideia - Cultivando o Amanhã é um organismo vivo composto por Empreendimentos Econômicos Solidários que desenvolvem seu trabalho de forma cooperada, tendo como base a democracia participativa. Ao longo dos anos, a AVESOL, por meio do Programa Comunidade Produtiva, tem contribuído para o fortalecimento e o desenvolvimento sustentável dos EES integrantes da Rede Ideia, através de sua assessoria.
A centralidade do debate teve como plano de fundo a defesa de direitos da economia solidária, a necessidade da aprovação da PL 4685/12 para criação de um sistema nacional, prevendo o fundo de incentivo para fomento às atividades de formação e trabalho cooperado. Mesmo com a aprovação do projeto de lei que avança no combate ao grande capital monopolista, os riscos são muitos.
A certeza de que a mudança é necessária tem sido o elemento unificador entre os diferentes movimentos sociais que clamam por justiça econômica social e igualdade de gênero. A Economia Solidária é parte deste processo de resistência pois leva em sua essência o contraponto ao capitalista. A economia solidária é complexa porem prevê uma justa distribuição da riqueza gerada pelo trabalho.
Em vista a necessidade da aprovação do projeto de Lei e a fragilidade institucional do período, onde as vozes que ressoam nas ruas por direitos sociais não encontram coro no parlamento, a Rede Ideia soma-se à luta em defesa de direitos. Não compactuamos com a tese de que o solo esta infértil pois temos a certeza de que estamos plantando nossa semente e nosso sangue e suor da labuta ira regar um novo amanhã.
Temos a responsabilidade com a economia solidária de unificar bandeiras de luta, seja ela por uma educação libertadora que não condicione aos interesses do mercado, seja avançar no campo social com bandeiras democráticas sem restrição dos direitos civis,  dos campos sociais que compõem o conjunto das forças políticas de nosso pais, e a disputa do mercado interno uma reorganização da produção a serviço do bem viver respeitando a vida e os limites das forças produtivas sem ter como base de acumulação a extração da força de trabalho e sem agredir o meio ambiente. O projeto de Lei da Economia Solidária é um passo fundamental para aprofundarmos a disputa do estado, nos da Rede Ideia seguiremos lutando em defesa da Economia Solidária.
Queremos agradecer a tod@s que participaram durante o ano de 2016 e caminharam ao nosso lado acreditando em uma nova sociedade. Agradecemos a Deputada Federal Maria do Rosário, ao Deputado Federal Marcon, ao Deputado Estadual Zé Nunes e a Vereadora Sofia Cavedon ambos tem demonstrado sua combatividade e defendido a Economia Solidária.
A Rede conecta-se a milhares de pontos que cria uma onda que não defende partido ou políticos, mas reconhece as frentes amplas de defesa aos direitos sociais.

Lutar sem Temer.








Nos dias 07 e 08/12, a Rede Ideia - Cultivando o Amanhã realizou seu terceiro encontro da Rede de Catadores do ano na Casa da Juventude Marista. O encontro contou com 68 catadores de 37 cooperativas, somando 22 cidades do estado do Rio Grande do Sul. Tivemos a presença do NESIC – Núcleo Economia Solidária e Incubação de Cooperativas representadas pela senhora Cláudia Patricia e Vanessa Monsk, que contribuíram com o debate durante os dois dias de formação.
O encontro avaliou e construí as ações de assessoria, articulação e mobilização da Rede Ideia / Rede de Catadores. Os trabalhos realizados em grupos trouxeram uma fala única entre os participantes, a necessidade de fortalecer as associações e cooperativas de catadores em rede, de seguir com formações que traga os aspectos jurídicos de defesa de direitos. 
A maturidade das unidades de catadores reflete na qualidade das formações da rede, suas reivindicações pela inclusão social, fim dos lixões, reconhecimento e valorização da categoria e defesa do meio ambiente estavam presentes em todas apresentações.
Nossos desafios são muitos, pois não depende apenas da organização e do esforço sobre humano dos catadores e catadoras de materiais reciclados no país. Existe um arcabouço jurídico que prevê a inclusão sócio produtiva da categoria e que segue sendo deixado de lado por gestores públicos. A disputa pela reciclagem popular segue sendo nossa bandeira assim como a defesa de direitos e a democracia em nosso país. Estamos prestes a um momento de escuridão total, o senado acabou de aprovar o congelamento nos investimentos sociais, é preciso darmos as mãos e seguir em frente lutando. Esse foi o espirito que conduziu o encontro da Rede de Catadores.
No, da equipe AVESOL, queremos agradecer a todos os catadores e catadores que constroem as lutas necessárias em defesa da vida, ao MNCR que tem sido instrumento fundamental para organização dos catadores no país.


2017 será de grandes lutas. Saudações a tod@s!




12 de dezembro de 2016

A parceria entre AVESOL e PUCRS foi novamente firmada por meio da renovação do Termo de Convênio assinado entre as partes. O Voluntariado é uma importante ferramenta de transformação humana e social, em que o tempo e os talentos são colocados em serviço da solidariedade e cidadania. O Centro de Pastoral e Solidariedade da PUCRS, acolhe o Núcleo de Voluntariado AVESOL / PUCRS, uma iniciativa que fomenta e promove o voluntariado universitário, envolvendo funcionários, professores, universitários e diplomados em prol do voluntariado nas organizações sociais e comunitárias parceiras, localizadas nas diferentes regiões periféricas de Porto Alegre e Região Metropolitana.
No dia 24 de novembro de 2016, o presidente da AVESOL, Ir. André Luis Dall’Agnol, e o Reitor da PUCRS, Ir. Evilásio Teixeira, assinaram o termo aditivo ao convênio, celebrando uma parceria de sucesso, visando o Voluntariado como essencial na universidade. Ir. Evilásio lembrou que o convênio surge com a intenção que todos os universitários tivessem a oportunidade de uma experiência voluntária, para além do campo profissional, evoluir no campo da humanização.
O convênio tem duração de 6 anos, a encara desafios como qualificar e potencializar a articulação dentro da universidade, colocando em prática o verdadeiro carisma marista.




A ONG Doutorzinhos, parceira do Programa de Voluntariado da AVESOL,  realizou mês de dezembro, com pais  e alunos do Colégio Marista São Pedro, a Oficina Pais e Filhos. Foram abordados tópicos como desinibição, a importância da brincadeira, jogos tradicionais, criação de personagens e a arte do palhaço. 
Foram momentos de muita imaginação e gargalhadas, onde os pais puderam lembrar das brincadeiras de criança, e compartilhar com as crianças a excitação de que a brincadeira nunca acabe, cruzando seus  medos, e  também criando mais confiança e espontaneidade  nas relações .
Riram, saltaram, pularam, abraçaram, onde todos deram seu tempo para experimentar e brincar, tornando os vínculos com os seus mais próximos   e fazendo uma viagem maravilhosa as suas lembranças e sentimentos.

Cada um dos  participantes, adultos e crianças apenas mostraram o que tinham, nada mais, transformando  a energia algo  fantástico e solidário com todos.






A Pequena Casa da Criança, parceira do Programa de Voluntariado da AVESOL, realizou no dia 07/12/2016,  a comemoração do Dia Internacional do Voluntário  com apresentações das crianças atendidas em agradecimento aos voluntári@s  e parceiros  que juntos  fazem uma rede de solidariedade e cidadania.
Após foi realizada uma confraternização entre todos, trocando experiências e partilhando também muita emoção.

A pessoa voluntária aprende com o outro,
Com nova experiências, novas visões de mundo. Ela começa,
então, a compreender que existem outras problemáticas que não fazem exatamente parte

do seu meio social mais imediato, mas nem por isso deixam de existir!  


21 de novembro de 2016

No fim de semana do dia da Consciência Negra, o CRDH – AVESOL, junto com o voluntário Marcelo, promoveu o evento de formatura para a concessão do grau de Mestre de Capoeira do Grupo Olùfé a este voluntário.
O evento contou com a participação de mais de 100 crianças, integrantes de projetos sociais promovidos pela Rede Marista, bem como diversos Mestres de Capoeira do Rio Grande do Sul. Todos foram recebidos neste CRDH para um rápido lanche. Em seguida, no ginásio do Colégio Marista São Pedro formou-se uma grande roda de capoeira, com muito axé, música e diversão. As crianças puderam jogar muita capoeira, tanto com os adultos presentes, como entre si. Ao depois, o Mestre do Grupo Olùfé, Mestre Bolívar, entregou para Marcelo a corda branca que simboliza o grau de Mestre de Capoeira. Então, todos os Mestres de Capoeira presentes jogaram com Marcelo, sendo esta uma maneira de legitimar e testar as habilidades do novo Mestre.

Ao depois, foi realizado um grande banquete com frutas para repor as energias gastas na roda de capoeira. O evento foi muito significativo, tanto por ser a formatura de Mestre de Marcelo, como por ter difundido e reafirmado a cultura capoeirista em Porto Alegre, justamente no fim de semana em que se reflete sobre o dia da Consciência Negra, sendo a capoeira uma cultura de resistência do povo negro. Assim, foi um evento para afirmar a diversidade cultural da sociedade brasileira, pois a garantia da existência e da liberdade de expressão de diferentes culturas é pilar fundamental da garantia dos direitos humanos. 




O Programa de Voluntariado da AVESOL realizou no dia 10/11/2016 o Encontro de Capacitação para as Organizações Sociais parceiras com o tema “Gestão de Voluntários”. 
Estiveram presentes 10 representantes de Organizações Sociais, e o encontro aconteceu em dois momentos: no primeiro foi dado as boas-vindas a todos participantes pelo Irmão Miguel Orlandi, do Conselho Diretor da AVESOL, onde enfatizou a importância do encontro e também dos Voluntários nas Organizações. Após os participantes se dividiram em grupos refletindo o texto “Gestão de Voluntários no Terceiro Setor” (Lise Mari Nitsche Ortiz): 

“ (...) onde antes só existia a prática voltada a caridade, e a intenção de ajudar era a prioridade, sem importara ação que seria executada, agora vemos a prática cidadã, no sentido de participação ativa dos indivíduos em assuntos da comunidade e de desenvolvimento dos cidadãos.  (trecho do texto)

Na partilha dos debates em grupo foi possível verificar que situações cotidianas relacionadas com o Voluntariado nas organizações, acontecem em comum, assim como a importância de estabelecer processos e pessoas de referência para o acolhimento de pessoas voluntárias.
Também foi enfatizado a importância da documentação (Cadastro do Voluntário, Termo de Adesão ao serviço Voluntário e o Registro de frequência a título de comprovação para Certificado).  Foi sugerido que alguns encontros poderiam ser realizado em uma Organização parceira, assim todas teriam a possibilidade de conhecer e formar uma rede de solidariedade entre as mesmas. 

Ser um Voluntário é gratificante e recompensador. Esta atividade é interessante para conhecermos melhor a realidade que nos rodeia, construindo laços com diferentes pessoas e tornar a vida menos artificial , compartilhando saberes e ideais  e compartilhando vínculos com as organizações.   




O Hospital São Lucas, parceiro do Programa de Voluntariado da AVESOL, realizou no dia 17/11/2016, quinta-feira, a terceira etapa do Projeto “Memórias Afetivas, Brincando  e Interagindo” com o grupo de crianças  do Clube de Mães Aparecida, no Campo da Tuca.
Com a presença de colaboradores/voluntários do Hospital São Lucas e da AVESOL, e com duas Voluntárias da Faculdade de Letras da PUCRS. Iniciou com a contação de histórias pelas Voluntárias, onde a participação e a vibração das crianças foi o ponto culminante.  Outro momento especial foi a partilha das crianças das histórias contadas através de desenhos e pinturas, e a criatividade das mesmas surpreendeu a todos.
Após a confraternização foi um bom lanche com doações dos funcionários do HSL para esta tarde de muitas brincadeiras e risadas.

Gratidão por podermos compartilhar de momentos tão especiais como esse.


“Os Voluntários não doam somente o seu tempo e sua generosidade, mas respondem a um impulso humano fundamental: a vontade de colaborar, de ajudar. De dividir alegrias, aliviar sofrimentos e de melhorar a qualidade da vida em comum”. (Autor desconhecido)



11 de novembro de 2016

Novembro, mês da Consciência Negra, época em que emerge várias discussões acerca da questão racial, onde somos convocados enquanto defensores/as dos direitos humanos a intervir de forma intransigente pela eliminação de toda e qualquer forma de preconceito e racismo.
Neste sentido, na tarde de ontem, 09/11/2016 o CRDH- AVESOL, promoveu oficina sobre “Gênero, raça/etnia e os impactos do racismo nas relações humanas”, juntamente com os/as trabalhadores/as dos Correios (CDD - Zona Norte/POA). Tal atividade compôs a agenda SIPAT - Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho.
A pertinência da discussão dentro da SIPAT foi evidenciada pela fala dos/as trabalhadores/as ao referirem os impactos do racismo e das discriminações de gênero (mulher) na saúde da classe trabalhadora. Por meio de uma vivência de grupo, os/as trabalhadores/as expuseram suas opiniões acerca das políticas públicas afirmativas, bem como, as políticas internas da empresa, que buscam reconhecer as diferenças entre gênero buscando promover por meio de política interna a equidade entre os mesmos.
A interação dos/as trabalhadores/as evidenciavam a necessidade latente desta discussão no âmbito do trabalho. “Nunca falamos sobre racismo na SIPAT, esta é a primeira vez, e acho que tem de ser abordada muitas outras vezes”, referiu um trabalhador ao avaliar a atividade realizada. Outro nos apontou que: “Não podemos nos restringir a discutir sobre o racismo apenas no mês de Novembro. Isso é tema para o ano inteiro”.
E desta forma, nos colocamos ao lado destes/as trabalhadores/as que, de forma muita ativa e consciente, buscam promover ações que possam coibir situações de racismo no ambiente de trabalho e que afetam diretamente aqueles/as que vivenciam histórica e cotidianamente na pele os efeitos do racismo, ou seja, a população negra.
Pelo fim do racismo e pela equidade de gênero, lutemos!!



Foi realizado no dia 07 de novembro de 2016 mais um encontro da Rede de Empreendimentos Solidários Ideia. Durante esta tarde podemos lançar um olhar para a campanha da CARITAS Brasileira “Uma luz pela Paz e pela Misericórdia no mundo”. A AVESOL apóia e dissemina todas as ações que busquem divulgar cultura de paz, a tolerância e a solidariedade. É importante ter um olhar reflexivo para as ações que resgatem antigos e preciosos valores como o amor ao próximo e parabenizamos a aqui como Rede solidariedade a iniciativa da CARITAS Brasileira.
Dando seguimento a nossa reunião podemos ouvir com alegria o doce relato das participantes da oficina “Brincando na Melhor Idade” http://www.avesol.org.br/2016/10/rede-ideia-brincando-na-melhor-idade.html. Segundo nossas participantes foi uma experiência muito gratificante, pois, as colocou em contato com a sua criança interior. Ainda segundo as participantes a oficina serve de aprendizado, pois nos trouxe de volta alegria de fazer sorrir e brincar, despertando e agregando mais um traça na personalidade de cada participante.
Aproveitamos o encontro de novembro para fazer mais um modulo da formação em fundos solidários apresentado aos participantes o vídeo “Cordel do Fundo Solidário – AS-PTA”. Logo após o debate sobre as praticas ali apresentadas de gestão participativa demos inicio a elaboração do Regimento Interno do Fundo solidário Rede Ideia.

O encontro serviu também para divulgarmos nosso encontro Conectando Ideias que se realizará na Casa Marista da Juventude – CAJU nos dia 09 de dezembro.



9 de novembro de 2016

Na noite de ontem, 08.11.2016, com a presença de aproximadamente 300 pessoas no pátio da Faculdade de Direito da UFRGS, foi realizada a “Aula Pública: a legitimidade jurídica das ocupações”. Com efeito, seguindo o exemplo de muitos outros cursos da UFRGS, uma das mais tradicionais faculdades de Direito do Brasil foi ocupada por seus estudantes na noite do dia 03.11.2016 em protesto contra a aprovação da PEC 241/55 (PEC do Fim do Mundo) e pela paridade de votos entre servidores, alunos e professores na administração da faculdade.
Assim, diariamente realizam-se eventos no local para que este mantenha-se vivo e para que os estudantes e demais pessoas da comunidade dialoguem sobre os objetivos do movimento e os recentes acontecimentos da sociedade. Desse modo, a aula pública sobre a legitimidade jurídica das ocupações foi de extrema importância para desmistificar a visão criminalizante de movimentos sociais que impera no senso comum teórico de muitos juristas.
O evento teve início com a apresentação do Centro de Referência em Direitos Humanos da AVESOL, tendo o advogado da equipe explicado como o CRDH funciona, como os tempos de retrocesso político e social afetaram a continuidade do trabalho, bem como ressaltou o apoio do CRDH às ocupações, por serem estas importantes instrumentos políticos de luta. Por fim, pontuou que a criminalização de tais movimentos não se coaduna com os princípios de uma sociedade que pretende aperfeiçoar sua democracia, pois impede que a política aconteça de forma plena, castrando seus cidadãos.
Ao depois, o professor Jacques Alfonsin, Procurador do Estado do RS aposentado, consignou que vivemos em tempos sombrios, que lembram o golpe de 64. Contudo, pontuou que, ao contrário do passado, o golpe que retirou a presidenta Dilma do poder foi orquestrado com uma crise constituída, ou seja, dentro de um quadro institucional de aparente normalidade.
Ainda, as pessoas advogadas do Comitê de Apoio às Ocupações (CAO) fizeram um breve histórico do tratamento dado pelos Tribunais aos movimentos de ocupações, ressaltando que, em que pese existam algumas decisões que reconheçam estas como instrumentos legítimos de luta, a repressão do Estado é a regra, ocorrendo muitas vezes desocupações forçadas, não dialogadas e sem autorização judicial. E mais: desmistificou-se a noção de que ocupações de caráter político constituiriam o crime de esbulho possessório, pois estas não possuem o intuito de se adonar, com caráter definitivo, do bem que ocupam.
Por fim, a aula foi encerrada sob fortes aplausos dos presentes, que deram vida à mais uma noite na ocupação da Faculdade de Direito da UFRGS.    

Foi um evento muito importante para afirmar a diversidade cultural da sociedade brasileira, pois a garantia da existência e da liberdade de expressão de diferentes culturas é pilar fundamental da garantia dos direitos humanos.  



7 de novembro de 2016

O Hospital São Lucas PUCRS, parceiro do Programa de Voluntariado da AVESOL, realizou no dia 05/11/2016   o encontro e confraternização dos Voluntários do Hospital, Mochila Aberta III.
No primeiro momento foi realizado uma avalição do ano que passou, e também planejamento para o ano de 2017, com muitas sugestões dos Voluntários presentes.  Também houve partilha de experiências, de momentos vividos, nessa jornada que é o Voluntariado, que faz a diferença na vida de alguém, e também o sentimento que proporciona a quem realiza. 
A emoção de cada relato contagiou a todos, e mostrou que que o trabalho voluntário é gratificante e recompensador.
Após, houve o almoço de confraternização, onde a alegria e a simplicidade do momento foi contagiante, tornando esse momento muito especial.  Gratidão sempre!!!


“ O sentimento de pertencimento, de companheirismo, de solidariedade, a construção de vínculos, o valor de si mesmo, de saber que faz a diferença na vida do outro, só acrescenta aos Voluntári@s.” 



31 de outubro de 2016

No dia 26 de outubro de 2016 foi realizado o último Café com Direitos do Ciclo 2016 no Centro de Referência em Direitos Humanos – AVESOL. Seguindo os planejamentos do mês, que discutiu Direitos das Crianças e Adolescentes, contou-se com a presença de Haide ( Educadora Aposentada, Militante dos Direitos da Criança e Juventude, Fundadora do MDCA, Conselheira do FMDCA, 1ª Gestão do CMDCA); Fabiane (Assessora da Deputada Estadual Manuela, Participou do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, ,atou na Secretaria Nacional da Juventude, participou da  1ª Conferência Nacional da Juventude-2008); e Bruna (Participante do Programa Jovem Aprendiz, Curso Turismo Ecológico nas Ilhas)
            Nem sempre é possível compreender as dificuldades e violências que as crianças e adolescentes passam sem conhecer suas realidades de perto, como relata Haide. “Cair no morro é cair na vida”. Os Direitos dos jovens parecem não sair do papel e não compreender os desafios que os meninos e meninas podem ter no dia-a-dia. Embora a Constituição Federal tenha avançado muito no reconhecimento dos direitos das crianças e adolescentes e seja uma das mais avançadas do mundo, não se pode afirmar que o Estado cumpre com os Direitos inscritos no Artigo 227 de proteção a “de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão”.
            Para a efetiva proteção das crianças e adolescentes, é de suma importância considerar as diferenças entre cada indivíduo. Embora todos sejam “iguais perante a lei”, para que a proteção e manutenção de uma vida plena, saudável e segura a todas e todos os jovens, deve-se promover equidade ao invés de igualdade para todos. Deve-se considerar as dificuldades específicas de cada criança e adolescente ao invés de promover a ilusória igualdade de oportunidades, e observar as questões especiais de cada um, envolvendo raça, gênero, etnia, classe, origem, orientação sexual, deficiência e história pessoal, como está previsto no parágrafo adicionado à lei em março de 2016.


            Alcançar este objetivo não é nada fácil, mas só é possível avançar com a luta e união de todas as pessoas que possuem paixão e fé na militância para ajudar as crianças e adolescentes. Os movimentos sociais são a base da luta para efetividade da proteção às crianças e adolescentes, pois estão constantemente atentos sobre os grupos mais vulneráveis a agressões. Um bom exemplo citado foi a luta pela proteção às crianças na primeira infância. Fabiane explana como é necessário desvincular-se de padrões patriarcais que acreditam que o cuidado à primeira infância é dado apenas à família (e, sobretudo, à mãe), e começar a compreender que o cuidado às crianças deve ser interesse coletivo.
            Por fim, contamos com a brilhante participação de Bruna, que participa do programa Jovem Aprendiz. Ela defendeu como projetos para adolescentes como este são capazes de dar voz para os jovens. O curso oferece uma formação humana, cria senso crítico e gera debates, e convida todos a repensar a função dos jovens do país, desejando jovens que sejam “protagonistas do que queremos”, que discutam seus direitos e que empoderem. O debate, portanto, seguiu com os relatos de experiência de diversas adolescentes no Café, discutindo questões de racismo e empoderamento feminino e negro na escola e como é importante ter espaço de discussão sobre direitos dos jovens nos dias de hoje, com tantas violações de Direitos Humanos no país.

Para maiores informações, consulte o Estatuto da Criança e Adolescente:





O Hospital São Lucas da PUCRS, parceiro do Programa de Voluntariado da AVESOL, realizou no dia 26/10/2016 no Anfiteatro José Otão do HSL, o encontro de Volunt@rios do hospital.
O tema  foi “Espiritualidade e Sensibilidade no cuidado com a Vida”, com o palestrante Sr. Osvino Toiller, integrante da Diretoria do Sindicato das Escolas Particulares, com experiência em palestras para pais e professores com temáticas ligadas a Educação, autoestima e motivação.  O momento foi de exposição sobre o atual momento da nossa Educação, e sua importância no desenvolvimento do ser humano.
Seguindo a palestra, a autoestima foi um ponto forte, pois sem a mesma não temos como nos doar e ajudar a quem necessita de nossa força e principalmente do amor, sentimento maior de troca e cuidados. Foi um momento de partilha e introspeção, para refletirmos os reais valores necessários ao nosso crescimento. E  após, um café para confraternizarmos juntos mais esse encontro .

“Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé ao ponto de transportar montes, se não tiver amor, nada serei”. (Corintians13,2).




24 de outubro de 2016

A ONG Doutorzinhos, parceira do Programa de Voluntariado da AVESOL,  junto com o Centro de Referência em Direitos Humanos- AVESOL (CRDH)  e com os integrantes de grupos da Rede Ideia,  realizou  de nos dias 14, 21 e 28 de Setembro  e 5 e 19 de Setembro de 2016,  a Oficina “Brincando na Melhor Idade”. Foi uma oportunidade de investigação d linguagem poética do palhaço, através de jogos, exercícios e improvisações, em que os participantes entraram em contato com o palhaço dentro de si,  a relação com a vida e expressando seus sentimentos,  pois  é assim que o aprendizado se aperfeiçoa.
Participaram da oficina 9 mulheres, que se dedicaram com afinco e leveza às atividades propostas. Através de jogos lúdicos adaptados a Melhor Idade e ao desenvolvimento do grupo, a pessoa passou a entender melhor a si mesmo, trabalhando seus sentimentos, se sentindo bem consigo e assim com o outro, pois se trabalha o “dentro para fora”.

Por meio de muitas brincadeiras, descobertas e trocas, o grupo partilhou e aprendeu, que brincando também  se aprende! Além do mais, Economia Solidária é também expressão de cultura.





21 de outubro de 2016

AVESOL esteve na tarde do dia 19 de outubro na sede da AGAI Associação Gaúcha de Artes Integradas junto com a assessoria de comunicação dos Correios, para fazer o registro das atividades do grupo. A Empresa Correios e Telégrafos está entre as 10 entidades selecionadas pela Assembleia Legislativa concorrendo ao Prêmio de Responsabilidade Social. A experiência que está sendo apresentada é parte de nosso trabalho. A AVESOL recebe parte dos resíduos dos Correios e através do Programa Comunidade Produtiva repassa aos Empreendimentos Solidários que utilizam como matéria prima para sua produção criando bolsas, mochilas entre outros produtos a partir dos uniformes e malotes.

A Economia Solidária tem sido a expressão antagônica da forma como o sistema se organiza, pois, as práticas usadas para o desenvolvimento econômico e social busca o respeito nas relações de trabalho e do meio ambiente.




YouTube

YouTube
Assitir vídeos da AVESOL no canal de YouTube

Categories

Notícias arquivadas

Tecnologia do Blogger.

Como Chegar

Principais Contatos

51 3221 2318

avesol@avesol.org.br

Seguidores