25 de abril de 2018


Nos dias 11/04/18 e 18/04/18, o Centro de Referência em Direitos Humanos – AVESOL ministrou 3 oficinas sobre Gênero e Sexualidade para jovens atendidos  pelo Centro Social Murialdo.

A oficina tratou sobre Gênero e Sexualidade, permitindo o debate acerca de questões que afetam diariamente a vida dos jovens. Neste sentido, foram passadas noções básicas sobre prevenção a gravidez indesejada e DST’s, bem como sobre orientação sexual.
Com isso, realizou-se uma dinâmica sobre a Cadeia de Transmissão das DST’S, tendo os jovens aproveitado o momento para se movimentar e entender como a transmissão de doenças sexuais pode se espalhar de maneira rápida dentro de um grupo.
A conversa com os jovens também abordou o tema do consentimento e da pornografia, uma vez que quando não há consentimento em uma relação afetiva/sexual estará havendo uma violência e, muitas vezes, um estupro. Ao depois, abordou-se o tema do gênero e da transsexualidade, conscientizando-se os jovens sobre a importância do respeito à diversidade, bem como uma sensibilização sobre os papéis que são impostos a cada gênero em nossa sociedade. Ao final, todos disseram ter aproveitado muito a oficina, sendo o tema presente e atual em suas vidas.




24 de abril de 2018


Aconteceu nos dias 17, 18, 19, e 23 de abril de 2018 o processo de seleção para novos Doutorzinhos. Foram 172 inscritos, sendo 70 interessados em fazer parte de um projeto de doação e muita solidariedade.
A ONG Doutorzinhos atua em nove (9) hospitais e uma (1) entidade social, sempre levando aos pacientes, acompanhantes e equipe de profissionais, grandes doses de amor, de carinho e de muitas risadas. Os Doutorzinhos são voluntári@s, dedicando parte de sua vida no treinamento em “ser palhaço”, com comprometimento, dedicação e levando amor a quem precisa.
A AVESOL além de participar do processo de seleção, também efetiva o Voluntariado por meio de documentação legal, formação e organização social comunitária.
Todos os interessados também podem ser voluntári@ em outras Organizações Sociais parceiras da AVESOL.

Parabenizamos a todos e todas que participaram desse processo conosco!

Voluntariado, adote essa ideia!

Selecionados para o treinamento e formação:

Alexsander Madeira de Andrade
Ana Carolina Fösch Batista
Bruna Prauchner Vargas
Camila Güntzel
Caroline Toson
Daniel Teixeira de Almeida
Fernanda Pankowski
Gabriela de Almeida Saatkamp 
Giulianna Resende de Lima Belmonte
Isadora Rittmann
Ivan Freitas Correa
Kaline Pereira Salgado
Kelly Cristina Santos Streb
Liliane Martins de Almada
Tiago Martins Lamas Vital
Vanessa Castro Eler Dias

SUPLENTES para o treinamento e formação dos Doutorzinhos (na ordem que serão chamados, caso haja alguma desistência até o início do treinamento ou falta de retorno do e-mail até o prazo mencionado):

1 - Mariana Amábile Martinelli
2 - Temis Borba dos Santos
3 - Gisele Pastore
4 - Priscilla Carbonell Dorneles de Carvalho
5 - Pâmela Oliveira Noschang
6 - Caroline Nectoux Culau
7 - Eloisa Toscan Massignam
8 - Rodrigo Giovanoni




17 de abril de 2018


Paul Singer (Paulo, como gostava de ser chamado) nos deixou na noite de segunda-feira (16). Sem dúvida foi um dos principais economistas socialistas do Brasil. O professor esteve à frente da Secretaria Nacional de Economia Solidária, ligado ao Ministério do Trabalho. Dedicou seus últimos anos de vida a instrumentalizar o Movimento de Economia Solidária, travando importantes debates sobre a "Democracia" como elemento fundamental para distribuição de renda.

Paul Singer foi imprescindível para o enraizamento dos setores populares que defendem e acreditam na produção coletiva como forma de superação das muitas crises geradas pelo sistema vigente. Seus esforços estiveram ligados na defesa de um novo modelo de produção, baseado nos princípios e valores da Economia Solidária, uma economia oposta ao capitalismo.

Tivemos a oportunidade de compartilhar algumas vezes o mesmo espaço com professor Singer, uma pessoa simples e preocupada com o povo e suas lutas.

Equipe AVESOL presta sua homenagem ao Eterno Revolucionário Paul Singer!




No último dia 14 de abril aconteceu na PUCRS o Encontro de Novos Voluntári@s e apresentação das instituições parceiras para 358 alunos, diplomados e colaboradores da PUCRS.
Foi um momento de partilha, quando as instituições puderam passar um pouco da sua trajetória  e suas demandas para receber os novos voluntári@s.
O Reitor da PUCRS Ir. Evilázio Teixeira abriu o encontro falando da importância do Voluntariado e da Solidariedade como ferramentas de construção da cidadania e na formação de profissionais mais humanos e comprometidos com a transformação social.
Agradecemos a todos os participantes, desejando que essa caminhada se torne um começo para a justiça social.


12 de abril de 2018


No dia 09 de abril de 2018 foi realizado na sede da AVESOL a reunião mensal do Programa Comunidade Produtiva - Rede Ideia, onde foi realizado formação sobre a Economia Solidária. Este encontro contou com a participação de 77 pessoas que compõem Empreendimentos de Economia Solidária, assessorados pela equipe AVESOL.
No encontro as pessoas que compõem os empreendimentos de ECOSOL tiveram a oportunidade de avaliar as feiras já realizadas no ano de 2018 nos Colégios Maristas Ipanema e Assunção, além de participar da formação da ECOSOL assistindo e debatendo sobre o filme Desafiar a Crise - Uma história sobre Economia Social e Economia Solidária.
Os empreendimentos de economia solidária também iniciaram uma Ação entre Amigos, a fim de viabilizar sua participação na 15ª Feira Latino-Americana de Economia Solidária, que acontecerá em Santa Maria em julho deste ano.



Se calarem a voz dos profetas, as pedras falarão. (Lc 19,40)
...Se fecharem uns poucos caminhos, mil trilhas nascerão.

Sim! Milhares de trilhas iniciadas por irmã Dorothy Stang, continuam abertas depois de seu martírio em 12 de fevereiro de 2005, no município de Anapu, Estado do Pará. Trilhas estas, continuadas pelo padre Amaro Lopes, conhecido, amado e respeitado por sua incansável luta em defesa dos direitos humanos, especialmente dos camponeses, pequenos agricultores da região de Anapu. Gente simples e de grande valor na defesa da Amazônia e da ecologia integral.
Dando continuidade ao trabalho de irmã Dorothy, padre Amaro atua no município de Anapu (PA), na Paróquia Santa Luzia, como líder comunitário e coordenador da Comissão Pastoral da Terra (CPT) na região. Há muitos anos, defende a regularização fundiária e o justo assentamento de centenas famílias de camponeses pobres da região vinculados ao Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS). Em sua missão, tem se colocado à serviço da causa dos trabalhadores e trabalhadoras do campo sendo um suporte para a sua organização, seu protagonismo e sua incansável luta em defesa da Amazônia.

Nesta semana em que celebramos as dores de Cristo a caminho do calvário, padre Amaro Lopes está sendo injustamente acusado e conduzido pelos mesmos caminhos do Calvário de Jesus Cristo. Os sumos sacerdotes, que outrora condenaram Jesus, são os poderosos, exploradores da Amazônia e de seu povo, que agora condenam padre Amaro Lopes.

Da mesma forma que reconhecemos as injustiças da condenação de Jesus, reconhecemos também que o mesmo se passa com padre Amaro. Por isso, compartilhando das mesmas dores de Jesus, clamamos por justiça e bradamos pela imediata libertação deste nosso irmão. Repudiamos veementemente as acusações impetradas sobre ele de forma caluniosa.
Manifestamos nossa solidariedade e nos colocamos ao seu lado, pedindo que se faça justiça com transparência e neutralidade. Que a verdade dos fatos seja apurada com o rigor da justiça, e que o padre Amaro tenha o direito de responder ao processo em liberdade, como o é permitido a qualquer cidadão em situação parecida.
Estamos apreensivos e acompanhamos a investigação e espera pela rápida elucidação dos fatos.
Que se faça justiça e que se celebre a Páscoa da Libertação!

Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM-Brasil)




“O servo não é maior do que o seu senhor. Se a mim perseguiram, também vos perseguirão”. (Jo 15,20)

A Semana Santa começou com grande sofrimento para a Prelazia do Xingu. Fomos surpreendidos na manhã do dia 27 de março com a notícia da prisão de nosso Padre José Amaro Lopes de Sousa, pároco da paróquia de Santa Luzia de Anapu.

Manifestamos nossa fraterna solidariedade a esse incansável defensor dos direitos humanos, defensor da regularização fundiária, da reforma agrária e dos assentamentos de sem-terra. Há anos alvo de ameaças, Padre Amaro agora é vítima de difamação para deslegitimar todo o seu empenho em favor dos menos favorecidos.
Repudiamos as acusações de ele promover invasões de terras que são reconhecidas pela Justiça como terras públicas, destinadas à reforma agrária, mas se concentram ainda nas mãos de pessoas economicamente poderosas.
Padre Amaro atua desde 1998 na Paróquia Santa Luzia. É líder comunitário e coordenador da Pastoral da Terra (CPT). O assassinato da Irmã Dorothy em 12 de fevereiro de 2005 no Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS) “Esperança”, não mais o deixou quieto e o fez continuar a missão daquela Irmã mártir.
Acompanhamos apreensivos a investigação e elucidação dos fatos e insistimos que a verdade seja apurada com justiça e total transparência.
A Semana Santa nos recorda a Paixão e Morte do Senhor na cruz, muito mais ainda a Ressurreição de Jesus. Na Páscoa celebramos a vitória da Vida sobre a morte, mas também da Verdade sobre todas as mentiras.

Altamira, 28 de março de 2018

Dom João Muniz Alves, bispo do Xingu
Dom Erwin Kräutler, bispo emérito do Xingu


originalmente publicado em http://redamazonica.org/2018/03/iglesia-brasilena-y-repam-brasil-solidarias-con-el-padre-amaro-lopes/

11 de abril de 2018



Nos dias 23/03/18 e 26/03/18 o Centro de Referência em Direitos Humanos – AVESOL ministrou 4 oficinas sobre Gênero e Sexualidade para jovens atendidos  pelo Centro Social Murialdo.
A oficina tratou sobre Gênero e Sexualidade, permitindo o debate acerca de questões que afetam diariamente a vida dos jovens. Neste sentido, foram passadas noções básicas sobre prevenção a gravidez indesejada e DST’s, bem como sobre orientação sexual. A conversa com os jovens também abordou  o tema do consentimento e da pornografia, uma vez que quando não há consentimento em uma relação afetiva/sexual estará havendo uma violência e, muitas vezes, um estupro.
Ainda, foram abordados e o tema do gênero e da transsexualidade, conscientizando-se os jovens sobre a importância do respeito à diversidade. Ainda, houve uma sensibilização sobre os papéis que são impostos a cada gênero em nossa sociedade, bem como sobre as violências que ocorrem quando toma-se tais papeis como algo imutável e certo. Houve intensa participação dos jovens, tendo estes feitos cartazes com frases que costumam ouvir ao longo de sua vida simplesmente por serem de um determinado gênero. Ao final, todos disseram ter aproveitado muito a oficina, sendo o tema presente e atual em suas vidas.





5 de abril de 2018



Reflexo de uma construção necessária para agrupar a esquerda em 2001, o Fórum Social Mundial segue hoje sendo uma das apostas dos setores anticapitalistas, buscando apontar saídas populares e democráticas para política social e econômica mundial. 
Muitos de nós da Economia Solidária tivemos nosso primeiro contato com esta “nova forma de organizar o trabalho” a partir dos debates construídos nas tendas deste evento.
É inegável que a cada edição que participávamos, mais fortalecidos nos sentíamos. Hoje a Economia Solidária é expoente fundamental deste debate de mudança, não apenas com novas ideias, mas com práticas que foram ao longo dos anos demonstrando que é possível produzir sem excluir, respeitar as diversidades e criar uma nova cultura política, econômica e social radicalmente horizontal.
Temos um longo caminho na implementação das transformações necessárias, há muito que se estudar e viver, pois a “prática segue sendo o critério da verdade”, e é nela que a Economia Solidária tem demonstrado que é possível viver bem sem explorar. Hoje temos a certeza que não estamos sozinhos nesta jornada, muitas lutadoras e lutadores sociais tem somado forças a cada dia que passa.
O Fórum Gaúcho de Economia Popular e Solidária contou com apoio financeiro da AVESOL para participar com uma comitiva no Fórum Social Mundial que neste ano ocorreu na Bahia. Estivemos em todos espaços de debate do movimento de Economia Solidária. 
Assim como em 2001, agora em 2018 seguimos com a tarefa de resistir contra as ofensivas neoliberais que voltaram a acumular forças no campo ideológico, após uma série de experiências com governos populares. A ofensiva neoliberal no continente latinoamericano demonstra que suas práticas não estão apenas em gabinetes políticos ou na administração de grandes empresas, mas atuam paralelamente com suas milícias, matando pobres, trabalhadores, negras e negros, LGBTQI, comunidade indígenas e todos aqueles que sonham por um mundo melhor.
A Economia Solidária seguirá resistindo e avançando.
Agradecemos a AVESOL por contribuir para viabilizar este momento rico em nossas vidas e tão importante para construção de nosso movimento.

Katiucia Gonçalves, Militante do Movimento de Economia Solidária









4 de abril de 2018



O Programa de Voluntariado da AVESOL e o Núcleo AVESOL/PUCRS realizaram visita ao Colégio Estadual Coronel Afonso Emilio Massot, localizado no bairro Cidade Baixa em Porto Alegre, para realização de uma parceria junto ao Programa de Voluntariado da AVESOL. Trata-se de uma escola da rede pública de ensino fundamental, médio e educação profissional técnico (contabilidade).
Os voluntári@s poderão atuar em áreas da educação e também promover a solidariedade e cidadania junto as educandos.
Agradecemos a acolhida realizada pela direção da escola, acreditando que somando forças teremos uma transformação social e solidária.



YouTube

YouTube
Assitir vídeos da AVESOL no canal de YouTube

Categories

Notícias arquivadas

Tecnologia do Blogger.

Como Chegar

Principais Contatos

51 3221 2318

avesol@avesol.org.br

Seguidores