20 de junho de 2016

A AVESOL e o Centro de Referência em Direitos Humanos (CRDH)- AVESOL promoveram nesta segunda-feira dia 20 de junho de 2016, uma Oficina sobre “Democracia e Direitos Humanos” com os alunos do ensino fundamental da Escola Estadual de Ensino Fundamental Bahia, parceira do Programa de Voluntariado  da AVESOL.
A perspectiva foi de favorecer o desenvolvimento da cidadania ativa, para reconhecimento de direitos e garantias individuais e coletivas, visto que a articulação entre escola e comunidade é fundamental para compreensão de seus direitos e de suas famílias. 




17 de junho de 2016

A AVESOL tem entre suas finalidades a promoção humana, a promoção da ética, da cultura da paz e da solidariedade, da justiça, da cidadania e dos direitos humanos. Como alternativa ao sistema capitalista, da exploração do trabalho e da dignidade humana, a AVESOL desenvolve ações de fortalecimento da economia solidária através de processos sócioeducativos, fomentando redes solidárias entre grupos e comunidades, reforçando a autonomia, a capacidade de iniciativa e sustentabilidade de organizações coletivas populares voltadas a geração de trabalho e renda. Neste sentido a AVESOL compreende a necessidade de criar iniciativas que auxiliem as pessoas no processo de crescimento pessoal e em grupo.
Com o objetivo de auxiliar neste processo a AVESOL lança o Projeto “ SER +” Curso de Formação de Líderes, que visa capacitar integrantes dos Empreendimentos Econômicos Solidários da Rede Ideia para serem líderes e protagonistas em sua revolução humana, cultural e relacional, a fim de contribuírem na formação das mentes e dos corações das gerações futuras.
O Ser Humano compreende-se e desenvolve-se no tempo e nas relações que consegue estabelecer. Ele é o responsável de seu próprio crescimento, mas muitas vezes, tem-se revelado mais espectador do que protagonista no seu vir a Ser. Diante disso, percebe-se a importância de ajudar na identificação, na aceitação, no reconhecimento e desenvolvimento de suas potencialidades, a fim de capacitá-las a serem protagonistas de suas vidas, recriando e liderando o presente na perspectiva do futuro.
No mundo globalizado a exigência de novas competências para o mercado de trabalho, modifica o perfil dos trabalhadores, ainda mais aqueles que buscam na Economia Solidária uma forma alternativa e justa de geração de renda. Homens máquinas ficam no passado, agora o perfil é de pessoas com autonomia, espírito de liderança e de pensamento crítico, com foco no SER, na satisfação do trabalho. O projeto SER + oferece uma formação diversificada, focada no desenvolvimento de habilidades ligadas à comunicação e às relações interpessoais, a aptidões que promovem o autoconhecimento, à administração do tempo, pensamento crítico, autodesenvolvimento, motivação, como lidar com mudanças, gerenciamento de conflitos, tomada de decisão e a capacidade de definir objetivos com mais clareza para facilitar o alcance de metas. Enfim o curso tem por objetivo desenvolver as potencialidades dos participantes de forma que ele possa compreender seu perfil, reconhecer suas potencialidades, expandir sua visão de mundo, encontrar soluções para os diferentes problemas, motivar e liderar afim de formar pessoas capazes de transformar seu grupo, aumentar a autonomia, a pró-atividade, a produtividade e tornarem-se multiplicadores destes novos conhecimentos em seus grupos.
Este projeto é destinado preferencialmente aos integrantes dos empreendimentos solidários integrantes da Rede Ideia. Serão 7 encontros, em que 9 convidadas/os ministrarão oficinas temáticas, compartilhando técnicas, conhecimentos e saberes com o objetivo de promover o desenvolvimento pessoal, a formação de líderes e multiplicadores.
Entre os conteúdos estão:
·           Análise da Conjuntura social, política, cultural da atualidade;
·           Quem são e onde estão os nossos líderes?
·           O Ser Humano (visões antropológicas - filosóficas) no decorrer da história.
·            O Ser hoje (pós-contemporaneidade);
·           Mundo Interior: Autoconhecimento;
·           Mundo das relações: Transcendente; Consigo; Com o outro; Com a Política; Com o ecossistema;
·           Trabalho em equipe; Relacionamento Interpessoal;
·           Mediação de Conflitos;
·           Desenvolvimento Moral e Ético;
·           Protagonismo, Transformação: social, política e pessoal;
·           Responsabilidade Social;
·           Direitos Humanos - Garantia a vida; Cultura da Paz - Construir a paz;
·           Autogestão;

·           Liderança e empoderamento; 


15 de junho de 2016

O Centro de Referência em Direitos Humanos (CRDH) da Associação do Voluntariado e da Solidariedade (AVESOL) repudia a conduta do Governo do Estado e da Brigada Militar diante das ocupações de escolas da rede pública e dos protestos realizados pelos estudantes.  São inadmissíveis as ações covardes que as autoridades vêm tomando para persuadir os estudantes ocupantes, como o uso de força policial, intimidação, negativa de diálogo efetivo e a terceirização da repressão, convocando por telefone pais e mães contrários a desocuparem por sua conta as escolas. Tais atitudes ignoram a importância do protagonismo juvenil e do direito de manifestação que vêm sendo expressado pelos estudantes na luta pelo direito fundamental a uma educação plural e de qualidade.
Tal conduta equivocada chegou ao ápice hoje pela manhã: estudantes do Comitê das Escolas Independentes (CEI), contrárias à sinalização de acordo feito pelo Comando dos Estudantes das Ocupações do Rio Grande do Sul com o Governador José Ivo Sartori na última terça-feira (14), ocuparam o prédio da Secretaria Estadual da Fazenda, na Av. Mauá. Sem qualquer mediação, autorização judicial ou mesmo interlocução de advogados(as), em torno de 50 adolescentes foram agredidos e covardemente retirados pelo Batalhão de Operações Especiais da Brigada Militar, detidos e conduzidos ao Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (DECA). A polícia usou spray de pimenta e bombas de efeito moral para dispersão dos ocupantes e também na população que apoiava os estudantes na parte de fora, formada por professores, pais, estudantes e municipários. Além disso, já existem relatos de ao menos um jornalista detido e de 10 maiores de idade, que serão conduzidos ao Presídio Central.
Com a ocupação da SEFAZ, os estudantes reivindicavam verba de R$240 milhões para melhorias nas escolas e a retirada definitiva do PL n° 44/2016 e do PL n° 190/2015, que tratam de verdadeira privatização das escolas públicas e da impossibilidade de discussões críticas por conta do movimento “Escola sem Partido”.
Há mais de um mês os estudantes vem ocupando as escolas por melhorias na educação e em apoio a greve dos professores. O governo de Estado levou mais de 20 dias para começar um diálogo, apresentando propostas incoerentes com as necessidades das escolas. Ofereceu R$40 milhões para melhorias - equivalentes a dezesseis mil reais para cada escola - e o adiamento da votação do PL nº 44/2016 para o ano que vem, mas sem desistir ou debater melhor com a sociedade. O descaso do Governo com nossas crianças e adolescentes nos provoca profunda indignação: não é possível que Secretários de Governo e o próprio Governador prefiram o uso da força ao invés do diálogo efetivo e democrático.
O Centro de Referência em Direitos Humanos acredita no protagonismo infanto-juvenil e defende a participação dos jovens em todos os espaços, discussões e desenvolvimento de políticas que se refiram a eles. Também vê como justos e legais os protestos dos estudantes secundaristas por melhorias na educação. Com isso, o CRDH exige que as autoridades competentes retomem imediatamente o diálogo efetivo com os estudantes, a fim de encontrarem soluções conjuntas para os problemas enfrentados nas escolas.


Centro de Referência em Direitos Humanos - AVESOL


A AVESOL e o Núcleo AVESOL- PUCRS, realizaram no dia 14/06/2016 o Encontro de Formação para as Organizações Sociais parceiras do Programa de Voluntariado, desenvolvendo o tema Direitos Humanos e Protagonismo Infanto-Juvenil, com a intermediação da equipe do Centro de Referência em Direitos Humanos (CRDH) - AVESOL.
Estiveram presentes 10 representantes das Organizações Sociais parceiras e 7 leigos interessados no tema. O encontro se constituiu em dois momentos: no primeiro, foi discutido o papel e as potencialidades do voluntariado dentro das instituições e, no segundo momento, debatemos questões relacionadas ao protagonismo infanto-juvenil, e como fomentá-lo. A presença de alguns jovens no evento foi uma grata surpresa, e legitimou a discussão. Assim como observado pelos participantes, o encontro revigorou as energias das organizações, e fomentou novas ideias para seu trabalho.
A luta por uma educação de qualidade deve ser reivindicação de jovens e adolescentes em período escolar, pais, mães, professores, adultos que ainda não tiveram acesso ao ensino e para os interessados em uma educação igualitária, plural, gratuita e que valorize seus próprios profissionais. O protagonismo juvenil também foi abordado que crianças e adolescentes são pessoas em desenvolvimento, não podendo ser penalizados por sistemas de punição, como prevê a redução da maioridade penal. Dessa forma, investir em educação de qualidade, ou seja, escolas com estruturas adequadas, professores com salários dignos, garantindo o direito de educação e de opinião crítica e reflexiva dos (as) alunos (as) promovendo avanços políticos e sociais.
Até o próximo!!!!!




3 de junho de 2016

A AVESOL e o Programa de Voluntariado da PUCRS convidam para o Encontro de Formação para as Organizações Sociais parceiras da AVESOL. Será no dia 14/06/2016, das 14h às 17h com o tema “Direitos Humanos: Protagonismo Infanto-Juvenil”. O objetivo é olhar para o papel das organizações sociais enquanto promotora dos Direitos Humanos, sobretudo no desenvolvimento das crianças e adolescentes. O Encontro será ministrado pelo Centro de Referência em Direitos Humanos /AVESOL.
Será também um momento de partilha, em que as ideias serão debatidas, tentando superar desafios enfrentados no dia a dia das comunidades.

Aguardamos todos e todas para compartilhar desse momento  tão delicado da nossa conjuntura atual!





A AVESOL e a ONG Doutorzinhos realizaram de 04/05/2016 a 02/06/2016 a segunda edição da Oficina Jovens Doutorzinhos- Formação de Multiplicadores. Por meio do Ministério da Cultura, a ONG Doutorzinhos viabiliza a oficina à jovens de comunidades. A AVESOL seleciona os jovens a partir das organizações sociais parceiras. Nesta edição encaminharam jovens para a oficina: o Jovem Aprendiz em Turismo Ecológico (Ilha da Pintada) – CESMAR, CEMASI (Vila Safira) e Centro Social Marista Irmão Antonio Bortolini (Loteamento Santa Terezinha).
O momento foi de trabalhar a desinibição, a criatividade os momentos lúdicos e também a conscientização de que o Palhaço é o poeta do amor, do sorriso franco e da verdadeira transformação da alegria.
Um dos resultados da edição anterior foi a constituição de um grupo composto por 4 jovens, que continuam desenvolvendo a arte do Palhaço, e realizando apresentações e interações em diferentes espaços.
Nesta edição o grupo iniciou de maneira tímida e curiosa, aos poucos percebeu-se que as gargalhadas e brincadeiras tomaram conta. No dia 02 de junho aconteceu a apresentação de formatura dos jovens Doutorzinhos, que após 54 horas de empenho e trabalho pesado, conseguiram trazer leveza e muitas risadas aos professores, parceiros e colegas.
Prestigiando a finalização do projeto, contamos com a presença dos educandos do curso de turismo ecológico.

Parabéns a todos, e que o caminho a percorrer seja de  transformação e de muitas gargalhadas! 


Louco amor palhaço
Filomena Amoroso

Penso que a alma manda no coração, e o coração manda na mente.

Eu sou alma mesclado de um coração que, às vezes, fala pela razão, porém deseja apenas expressar seu próprio amor.

Amor que muitos desconhecem até o momento que alguém reconhece e o amor esclarece.

Nada mais é igual, porque tudo foi descoberto, como o palhaço que tira a máscara.

Todos agora conhecem sua face.

Salve a felicidade, salve a verdade!

Louco amor palhaço, agora está feliz: com ou sem máscara.






1 de junho de 2016

Na manhã de ontem (31/05/2016) no Plenarinho da Assembleia Legislativa, aconteceu a primeira Audiência Pública da Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia: Obras nas escolas da Rede Pública Estadual proposta pelo Deputado Adão Villaverde (PT). O mesmo declara que, “...de nada adianta só focar nas obras escolares que foi apenas a motivação inicial da mobilização de ocupação mas que logo mudou com os acontecimentos posteriores” alerta o deputado, após a manifestação de denúncias sobre agressões e violências sofridas pelos secundaristas e pais/mães dos (as) ocupantes.
Neste sentido, os (as) alunos (as) das ocupações que estavam presentes se manifestaram solicitando a retirada do PL 44/16 que propõe a privatização dos serviços públicos e PL 190/15 de criação do Dep. Marcel Van Hattem (PP), chamado de ‘escola sem partido’ que amordaça as opiniões nas salas de aula e cerceia a opinião crítica e reflexiva dos (as) alunos (as) promovendo um retrocesso político e social.
Como encaminhamento, foi sugerido a constituição de uma comissão de interlocução entre ocupantes e governo, “...é fundamental deixar muito claro como funcionará a comissão especial, qual o conteúdo e os pontos prioridades a serem abordados para se chegar a resultados concretos e não frustrar os envolvidos”, disse o parlamentar, que integrará o fórum, formado por professores, alunos e pais, governo, MP e Assembleia*.
Na ocasião o até então Secretário de Educação Vieira da Cunha (PDT) se mostrou aberto ao diálogo, afirmando que “jamais vai tratar o tema da educação como caso de polícia”, porém, de acordo com as últimas informações políticas noticiadas pela imprensa**, o secretário deixará o governo Sartori para concorrer à prefeitura da capital pelo PDT a partir desta quinta-feira (01/06/2016). Ou seja, quem assumirá sua pasta, estará “aberto (a)” ao diálogo e qual será a postura assumida pelo (a) novo (a) secretário (a)?
Lamentavelmente, nos colocamos diante da evidente falta de compromisso e respeito do atual governo com os estudantes e professores, que estabelece acordos sem poder ou vontade de cumpri-los, deixando uma pergunta que não quer calar: afinal de contas, “Todos” pelo Rio Grande seriam em favor de quem mesmo?

Leia aqui na íntegra denúncia de mãe de secundarista apresentada na audiência pública.






YouTube

YouTube
Assitir vídeos da AVESOL no canal de YouTube

Categories

Notícias arquivadas

Tecnologia do Blogger.

Como Chegar

Principais Contatos

51 3221 2318

avesol@avesol.org.br

Seguidores