21 de junho de 2018


O Centro de Referência em Direitos Humanos - AVESOL, realizou, por meio do Convênio 861471/2017- MDH, no dia 14 deste mês, uma oficina sobre os direitos da pessoa idosa para o Grupo de convivência de idosas do Centro Social Marista Santa Isabel - CEMASI.  
A atividade em roda de conversa possibilitou os depoimentos e testemunhos de vida das mulheres. Também as violações de direitos e dificuldade que ainda enfrentam por causa da idade. O assento reservado no ônibus que não é respeitado mesmo com a presença de idosos que tem que viajar em pé. O corpo da pessoa idosa não tem a mesma vivacidade de uma pessoa mais jovem, eles sentem o corpo mais pesado, seus movimentos têm que ser mais calculados e mais devagar, uma freada do motorista pode causar um desequilíbrio e consequentemente uma queda, que levará muito mais tempo para recuperação em comparação a uma pessoa mais jovem.     
Outro relato foram os maus tratos em casa, as humilhações e desprezo de filhos e netos como xingamentos que deixam marcas na alma e levam a doenças como depressão e baixa estima, situação que passam ou passaram algumas idosas do grupo. A apropriação indevida do benefício de aposentadoria, assim como os empréstimos consignados para ajudar parentes fazem com que os idosos fiquem com os rendimentos comprometidos e não sobre para gastos pessoais e alimentação adequada também foi relatada. Mas a convivência em grupo, as trocas de experiências, as atividades realizadas como artesanato, amenizam as dores, fortalecem a amizade e aumentam a autoestima para o enfrentamento das dificuldades do dia a dia. 
            O ano de 2018 é o Ano de Valorização e Defesa dos Direitos Humanos da pessoa idosa. O Estatuto do Idoso completa 15 anos e é destinado a regular os direitos às pessoas com mais de 60 anos. Conforme o Art.3º É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária. As violações de direitos da pessoa idosa são consideradas crimes e podem levar a multa e detenção.
            No final da atividade, as idosas foram distribuídos exemplares do Estatuto do Idoso, elas foram orientadas a sempre pedir ajuda a uma pessoa de confiança ou denunciar quando se sentirem em ameaça ou tiverem seus direitos violados.Seja assegurar que o respeito ao assento no ônibus, o atendimento preferencial, a denúncia de maus tratos e violações de direitos , é dever de todos proteger, defender e buscar garantir os direitos humanos da pessoa idosa.




15 de junho de 2018


Durante o encontro da Rede Ideia realizada na última segunda-feira (11) de junho, participaram 89 representantes dos Empreendimentos Econômicos Solidários que são assessorados pela AVESOL.
A Rede de Economia Solidária – Rede Ideia, tem provocado importantes debates, contribuído com a reflexão dos acontecimentos recentes e seus desdobramentos. Uma onda de medidas restritivas tem colocado em riscos direitos já conquistados, essa nova ofensiva contra a classe trabalhadora orquestrada por uma casta política em conluio com capital financeiro tem provocado o empobrecimento crônico da população. Diante deste cenário não só temos observado como contribuído para o fortalecimento de ações colaborativas entre aqueles que defendem a Economia Solidária.
Durante o encontro da última segunda-feira tivemos como ponto de pauta a organização dos grupos para participar da 25° FEICCOP.  Nos últimos cinco anos a Rede Ideia, tem sido a maior delegação participante da Feira Internacional de Economia Solidária em Santa Maria. Através de uma ação entre amigos, do apoio da AVESOL e da REDE MARISTA os grupos terão a possibilidade de participar mais um ano.
Mais que um espaço de REFÊRENCIA para ECONOMIA SOLIDÁRIA a Feira se tornou um espaço de RESISTÊNCIA e LUTA para aqueles anseiam por um mundo mais justo.



14 de junho de 2018

No dia 13 de junho de 2018, o Programa de Voluntariado da AVESOL, realizou uma visita a Casa de Amigos Santo Antonio para estreitar os laços de parceria.
A Casa dos Amigos de Santo Antônio é um pensionato de idosas, onde o objetivo é oportunizar as idosas um lugar de tranquilidade, Solidariedade e segurança, com um clima familiar e fraterno, e onde possam participar de atividades internas e externas, sempre com orientação das Irmãs.
A visita também foi para nos despedir da Irmã Ana, diretora da Instituição, que foi transferida e as boas-vindas a Irmã Margarida, que a partir de agora estará à frente desse belo trabalho que é realizado.
Agradecemos a Irmã Ana pela parceria junto ao Voluntariado da AVESOL, e desejamos muita luz em sua nova jornada e a Irmã Margarida desejamos que nossos vínculos se fortaleçam.


13 de junho de 2018


No dia 30 de maio de 2018, o Centro de Referência em Direitos Humanos – AVESOL realizou mais uma oficina na Escola Victor Issler, situada no Bairro Mario Quintana, com as três turmas do sexto ano do segundo ciclo. A oficina versou sobre Bullying e cultura da paz, total 90 adolescentes. Inicialmente cantamos uma música para descontrair, logo em seguida todos se apresentam. Começamos a oficina perguntando para os adolescentes: o que significa a palavra bullying? Uns responderam outros deram exemplo de bullying outros riram, após a rodada de conversas. Explicamos o que é Bullying Lei nº 13.185, de 6/11/15 que significa Intimidação Sistemática e apresentamos os tipos de intimidação através da lei.
Pedimos que escrevessem em um papel coisas que gostavam de ouvir sobre si e quais as palavras ofensivas e negativas que já ouviram e não gostaram de ouvir e qual o sentimento que expressamos neste momento. Os alunos trouxeram vários nomes e situações de constrangimento que já passaram e ouviram em casa na escola e na rua e o sentimento é magoa, pois intimidação sistemática gera a baixo estima, um grande desconforto. O Bullying é um assunto que está sendo estudado e debatido no mundo todo formas e estratégias para combatê-lo.
Aqui em Porto Alegre, através da Secretaria de Educação está sendo implantado nas escolas o Programa CIPAVE -Comissões Internas de Prevenção de Acidentes e Violência Escolar, em parceria com as demais secretarias de governo, busca orientar a comunidade escolar sobre as mais diversas situações que podem ocorrer no ambiente escolar, para que juntos possam:  Identificar situações de violência, acidentes e causas;- Definir a frequência e a gravidade com que ocorrem;- Averiguar a circunstância em que ocorrem estas situações;- Planejar e recomendar formas de prevenção;- Formar parcerias com entidades públicas e provadas para auxiliar no trabalho preventivo;- Estimular a fiscalização por parte da própria comunidade escolar, fazendo com que zele pelo ambiente escolar;- Realizar estudos, coletar dados e mapear os casos ocorridos que envolvam violência e acidentes, para que sejam apresentados à comunidade e às autoridades, proporcionando que estas parcerias auxiliem no trabalho de combate e prevenção dos acidentes e violência na escola. Finalizamos a oficina, com o compromisso de chamar o colega pelo nome e a dinâmica da Teia de Elogios.




Foi realizado no dia 09 de junho de 2018, no Centro de Referência em Direitos Humanos- AVESOL o Projeto Através do Espelho- 2º Edição 2018 do Orgulho Crespo. A oficina da Maraia's Bonecas de Pano com a facilitadora Liliane Lemos Moraes. Essa edição do Projeto esteve cheia de afeto, reconhecimento, amor e carinho. Refletindo sobre cuidar, resgatar as raízes e revivê-las através da oficina de bonecas que realizamos e pensando em promover representatividade por meio dos brinquedos.
Das linhas que costuram resistência e constroem identidade, cuidando de nossas raízes, assim como cuidamos das raízes dos nossos cabelos, a proposta é nos autoconhecermos. Esse olhar sobre nós mesmas faz toda diferença para uma vida com mais amor e também nos tornar mais resistentes para os enfrentamentos diários.
As bonecas(os) confeccionadas serão doadas. 
A oficina de bonecas iniciou as 14 horas, com um vídeo sobre a IDENTIDADE. As diferenças existem, e sempre vão existir pois somos diferentes uns dos outros, e é bom que sempre existam é necessário. O desafio é quando as diferenças servem para produzir preconceitos e desigualdades. Logo em seguida   o grupo de 24 mulheres comentou sobre o vídeo e suas expectativas diante da confecção das bonecas. A facilitadora Liliane Morais distribuiu o material, e já iniciou dando as devidas orientações, as bonecas começaram a ser confeccionadas tinha vários modelos, o grupo parou para fazer um lanche. Retornaram e falaram que gostaram muito da oficina, do espaço, nas avaliações solicitaram mais eventos como este, importante pois fala da criança negra até a fase adulta; que esta oficina poderia ser realizada em clubes de mães, igrejas; tema muito oportuno. Finalizamos a oficina com todas as bonecas prontas.   

     

11 de junho de 2018

No dia 08 de junho de 2018, o Programa de Voluntariado da AVESOL realizou visita a ACM Restinga Vila Olímpica, para uma parceria junto ao Voluntariado da AVESOL.
A ACM Vila Restinga Olímpica busca a inserção social por meio do esporte, e atende as crianças e jovens em situação de vulnerabilidade no turno inverso ao da escola, com a realização de atividades recreativas, desenvolvimento cognitivo e motor, para integrar os que frequentam a Instituição, aproximar a comunidade e estreitar os laços com as famílias.
Agradecemos a colaboradora Suelen pela  acolhida e desejamos que essa parceria seja de uma caminhada de solidariedade e que os vínculos se fortaleçam.



8 de junho de 2018


No dia 05 de junho de 2018, o Centro de Referência em Direitos Humanos - CRDH ministrou no ESPRO para 19 alunos do curso de Jovem Aprendiz uma oficina sobre Geração de Renda. apresentei a Avesol/CRDH e como funciona a Rede Ideia e seus empreendimentos. Foram abordados assuntos sobre e o mercado de trabalho formal, onde os jovens já estão acessando. Como podemos trabalhar com vínculo empregatício e para acrescentar a renda buscar alternativas no mercado informal por meios de outras atividades. O debate aconteceu sobre os variados tipos de trabalhos que tem virado o popular “bico”, mas que tem sido uma forma de renda para muitas famílias. Como o Uber, cuidador de idosos, diaristas, quituteiras, artesãos e por vai, pois, as pessoas têm buscado várias formas de se manter. Os jovens mostraram que tem muitos projetos, mas percebem alguns desafios, como um salário melhor, alguns já manifestaram interesse em ter seu próprio negócio. Nesta roda de conversa abordamos sobre alguns locais que nos dão informações e formações de como fazer para abrir seu negócio.
A Casa do Artesão é uma ação do Programa Gaúcho do Artesanato (PGA), que incentiva a profissionalização e fomenta a atividade artesanal com políticas de formação, qualificação e apoio a comercialização. O Programa é responsável pela emissão da Carteira de Artesão, que viabiliza a isenção de ICMS para a circulação de produtos, a emissão de notas fiscais e a exportação de produtos como pessoa física, além da participação de exposições e feiras para comercialização dos produtos. A segunda parte da oficina foi a confecção de pulseiras utilizando como técnica de trabalho o tear japonês- Kumihimo.
Distribuiu-se o material para todos os participantes onde cada um fez seu tear de E.V.A, depois receberam os cordões de seda e começaram a tramar os fios, requer atenção e concentração, logo em seguida finaliza a pulseira colando um terminal em cada ponta. Alguns demoraram um pouco para entender a técnica, mas depois concluíram o trabalho. O produto para ser comercializado precisa ser bonito ter um bom acabamento e de preferência um preço justo.
Na oficina de Tear os jovens avaliaram que foi boa atividade no sentido de estimular a criatividade, trabalhando a introspecção onde os alunos tiveram que se expor interagindo e trabalhando em equipe, alguns perceberam que não tem habilidades com as mãos, estimulo para empreendedorismo, como gerar renda com suas habilidades, e construtiva.





No dia 06 de junho de 2018, o Centro de Referência em Direitos Humanos-(CRDH) /Avesol realizou uma oficina no Ensino Social Profissionalizante (ESPRO) com 22 jovens do programa Jovem Aprendiz.Apresentei o CRDH/AVESOL o projeto e as oficinas, logo em seguida todos se apresentaram. A oficina foi sobre Gênero e sexualidade, como a sexualidade perpassa na vida dos jovens como é percebida e vivenciada.
Vimos o vídeo dos direitos humanos e debatemos sobre o respeito e a tolerância que precisamos exercitar para aceitar e respeitar os outros que são diferentes de nós, ou que não concordam com a minha opinião, o modo de vida, a postura, enfim a diversidade. Porém já o vídeo sobre consentimento nos remete ao direito de dizer não quando não concordamos com algo que viole a nossa vontade o nosso querer, dependente da situação pode gerar violência, e neste momento que cabe usar os canais de denúncia, Lei Maria da Penha, disque denúncia. No Brasil a, Lei 12.015/2009 determina que crianças abaixo de 14 de idade são incapazes de consentir em ter uma relação sexual. O vídeo que os jovens viram foi sobre esta realidade, os jovens disseram que quase não há diálogo com seus parceiros(as) sobre sexo, métodos anticonceptivos, o mais usual é lembrar do uso da camisinha, tem muito tabu sobre estes temas em casa os pais muitas vezes sentem-se constrangidos pois não estão preparados para falar  pois tem vergonha ou falta pedagogia para lidar com o este assunto e na escola abordam superficialmente. A falta de informação neste quesito pode gerar muitas consequências como gravidez precoce, doenças sexualmente transmissíveis AIDS/HIV e outras doenças oportunistas. O debate foi muito rico pois os jovens puderam expor suas ideias, colocaram situações do cotidiano. E qual o entendimento que eles têm Sexo, Identidade de Gênero e a orientação afetiva sexual, pois vivemos em contextos diferentes e precisamos conhecer estes conceitos para combater todas as formas de discriminação e preconceito. Iniciamos uma dinâmica pedi a eles que formassem dois grupos um de meninos e outra de meninas e colocasse num papel quais as frases ou palavras que ouvem por ser mulher, e as frases que ouvimos por ser homem. A dinâmica foi bem participativa e interativa, reflexiva, pois foi importante apresentar papel social que cada gênero representa na sociedade.




Na noite de 05 de junho de 2018, a ONG Doutorzinhos, parceira do Programa de Voluntariado da AVESOL, que atua em 06 hospitais e 01 Entidade Social, realizou a formatura dos nov@s Doutorzinh@s, que foram selecionados em abril de 2018, e após um mês de treinamento intenso estão aptos a Voluntariar nos Hospitais parceiros. 
Após uma apresentação de esquetes dos 16 nov@s voluntári@s,  de um forma mágica e emocionante, os mesmos receberam seu jaleco e estão aptos a essa nova caminhada, levando aos pacientes, familiares e equipe de trabalho doses de amor, trocas e risadas.

Parabéns a tod@s nessa caminhada de dedicação e treinamento para levar alegria e amor a quem precisa!





YouTube

YouTube
Assitir vídeos da AVESOL no canal de YouTube

Categories

Notícias arquivadas

Tecnologia do Blogger.

Como Chegar

Principais Contatos

51 3221 2318

avesol@avesol.org.br

Seguidores