31 de agosto de 2016


     A Associação do Voluntariado e da Solidariedade – AVESOL, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita no CNPJ 05.338.795.0001-66, com sede na Rua Almirante Barroso, 665 – Bairro Floresta – Porto Alegre – RS, vem através deste convocar o próximo candidato do cargo de Advogado, referente à Chamada Pública 02/2016 para seleção e contratação de pessoal do Centro de Referência em Direitos Humanos, tendo em vista a vacância por motivo de desligamento, convoca o candidato à comparecer a Sede da AVESOL, para as providências relativas à sua a admissão, sendo que o não comparecimento no prazo de 15 (quinze) dias a contar do recebimento da convocação será como desistência, implicando na sua exclusão da lista de classificação.
    
Convocado:
Pedro Gil Wayne
Advogado

                                        Porto Alegre, 30 de agosto de 2016.

Atenciosamente,


Andre Luis Dall Agnol

Presidente (Comissão de Seleção)

Acesse o documento na íntegra aqui.


30 de agosto de 2016

Existe pessoas que escolhem, dedicar seu trabalho e tempo em benefício do próximo, realizando um trabalho voluntário, ou seja, sem receber nenhum tipo de pagamento por isso, simplesmente pela gratuidade de fazer o bem.
Como reconhecimento e valorização dessa dedicação às causas de interesse social da comunidade, dia 28 de agosto é comemorado o Dia Nacional do Voluntariado.
No dia 25 de agosto de 2016, a AVESOL em parceria com o Núcleo AVESOL/PUCRS celebrou com Voluntári@s e organizações parceiras essa data comemorativa, onde o tema foi Voluntariado, nossa Responsabilidade com o bem comum!
O encontro foi de confraternização propiciados pelos palestrantes convidados onde também houve uma apresentação artística dos jovens da Unidade Social Marista Irmão Bortolini. Após os convidados puderam participar de duas Oficinas, Direitos Humanos no Voluntariado e Voluntariado -Sustentabilidade e Meio Ambiente, e em seguida uma confraternização onde houve partilhas e momentos de reflexão.

Compreender o sentido de doar o melhor de si em benefício dos outros, pode trazer um significado mais amplo a vida!




Aconteceu nos dias 23 e 24 de agosto de 2016 o encontro quadrimestral da Rede Idéia no segmento de reciclagem. Esse evento teve por objetivo proporcionar um espaço para troca de experiências e saberes  para catadores de materiais recicláveis que trabalham em Unidades de Triagem.  A AVESOL já trabalha com essa metodologia desde 2007.  Independente de projetos sociais e parceiros apoiadores nosso compromisso com a reciclagem é mantido e reafirmado há mais de nove anos e está dentro do nosso programa Comunidade Produtiva.
Neste encontro tivemos a participação com a participação das unidades de triagem:  ASCAT; COMCAT, Coopertinga, Santa Terezinha, Padre Cacique, COLABORE, Rubem Berta, UNICICAR e ECOSOUVENIR, Mãos Dadas com a Ecologia, Torotama e contando com o parceiro Movimento Nacional de Catadores de Nateriais Recicláveis – MNCR. 
O evento oportunizou o espaço para a construção coletiva, colaborativa de novos saberes como grupo.   Os temas abordados durante o encontro foram: administração participativa dentro de cooperativas e associações de reciclagem, administração de conflitos, acolhimento e afastamento de sócios, entre outros. Ainda durante nosso encontro destacamos a fala do Alex, do Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis – MNCR, sobre o cenário da reciclagem no Brasil. Segundo Alex Cardoso -MNCR e também segundo o site Portal Brasil em nosso país reciclamos 3% do material. Hoje nós temos aproximadamente 90% das latas de alumínio 60% das garrafas PETs e 40% do papel.  
Segundo blog de Leonardo Boff no texto de WASHINGTON NOVAES o Brasil é terceiro país no mundo (após China e Estados Unidos) que mais lixo gera. Estatísticas falam em 220 milhões de toneladas/dia, em torno de 1,2 quilo diário por pessoa.
Quando terminar o dia de hoje você produziu todo esse lixo e mais da metade segundo o Plano Nacional de Gerenciamento de Resíduos Sólido metade do lixo que você produziu é matéria orgânica.




Ainda segundo o PNRS deste total os materiais recicláveis são encontrados na proporção mostrada na figura abaixo


Outro dado importante é a falta de destinação adequada inclusive em cidades com coleta seletiva. Isso mesmo mesma há cidade que por obrigação de lei e por incentivos públicos faz a coleta seletiva e destina os materiais para o lixão, ou aterro sanitário elevando o custo que a população paga por este serviço e aumentando ainda mais nossa conta ambiental.  Mais ainda, as prefeituras não investem em educação ambiental, se concentram em ações pontuais durante a semana do meio ambiente. É importante estender esse debate até nossas casas e principalmente as cidades e pesquisar mais sobre estes assuntos como a reciclagem. Ser amigo do catador é ser amigo da natureza.  


24 de agosto de 2016

É nosso dever lembrar que as pessoas que praticam o bem representam nossa sociedade. Nesse grupo, estão os Voluntári@s que atuam na área da saúde. São eles que buscam com suas visitas e atividades, criar um clima agradável nos ambientes hospitalares e também a prática dos valores humanos e a aproximação de realidades que contribuem para o tratamento e o progresso do paciente, além do acolhimento a família.
Assim, no dia 23 de agosto de 2016, foi realizado o Encontro Mochila Aberta I, Recepção e Formação de novos voluntários, com participação da AVESOL e do Núcleo de Voluntariado AVESOL/PUCRS, a Coordenação de Pastoral da Rede Marista, contado com 38 Voluntári@s, que estão se preparando para iniciar a caminhada junto ao Voluntariado no Hospital São Lucas da PUCRS.
 A segunda etapa acontecerá dia 30 de agosto pela manhã, dando continuidade à Formação dos novos Voluntári@s.

Desejamos a todos que essa caminhada seja de transformação e aprendizado!  

16 de agosto de 2016

Dando continuidade às atividades de agosto, a Rede Ideia, entre os dias 9 e 12, marcou presença em mais um espaço coletivo está sendo construído pela segunda edição, a Feira da Cidadania no Centro de Referência em Direitos Humanos (CRDH). A Feira contou com 18 grupos integrantes da Rede Ideia, comercializando coletivamente por meio de um lojão, com caixa único e organização para o trabalho combinada, ou seja, praticando a autogestão!

No dia 11, a equipe do CRDH ministrou uma formação, com o tema “Migração e Refúgio” teve o intuito de orientar as pessoas de forma geral a respeito dos imigrantes de diferentes países que encontram nosso país abrigo para muitas violações de direitos.



Já nos dias 08 e 09 de agosto de 2016, foi a vez do Colégio Marista Ipanema de acolher 15 grupos integrantes da Rede Ideia com o intuito de fomentar e fortalecer a Feria Mãe Arteira, projeto o qual a escola já trabalha há algum tempo.

Com isso, os grupos da Rede Ideia vêm somando forças, por meio do trabalho coletivo nesse espaço de aprendizado e troca de experiência, em que a relação solidária é construída e outra forma de fazer economia acontece.



E o mês de agosto começou com muitas atividades para a Rede Ideia. Nos dias 03, 04 e 05 de agosto de 2016, o Colégio Marista Graças, em Viamão, recebeu os grupos solidários para a realização de mais uma edição da Feira da Cidadania. O evento contou com a participação de 16 empreendimentos econômicos solidários de alimentação e artesanato.
Com uma mística de abertura, os grupos iniciam a Feira, integrando a comunidade escolar e empreendimentos solidários. Praticar economia solidária é priorizar as relações humanas, é priorizar o ser humano e acima de tudo priorizar o consumo consciente.
No dia 04, a equipe do Centro de Referência em Direitos Humanos ministrou uma atividade formativa, por meio de bate papo e trocas de experiências, referente ao tema “Mulheres e seus espaços sociais”.


9 de agosto de 2016

Reconhecendo o direito à autodeterminação dos povos indígenas do mundo e a importância da sua diversidade de línguas, costumes e saberes, o Dia Internacional dos Povos Indígenas do Mundo é comemorado anualmente em 09 de agosto, em referência à primeira reunião do Grupo de Trabalho das Nações Unidas sobre Populações Indígenas, realizada em Genebra no ano de 1982. A data foi proclamada pela Assembleia Geral em dezembro de 1994 (para mais informações, visite o site da ONU: www.un.org/en/events/indigenousday).
Porém, a realidade dos povos indígenas não é motivo de comemoração. A população indígena mundial é composta por aproximadamente 370 milhões de pessoas – em torno de 5% do total mundial – e constitui mais de um terço das 900 milhões de pessoas que vivem em extrema pobreza em áreas rurais do mundo. Esta é a principal conclusão do relatório divulgado em 2015 pelas Nações Unidas sobre as condições de vida dos povos indígenas no mundo.
Também em 2015, o Banco Mundial divulgou o relatório “América Latina Indígena no Século 21 – A Primeira Década”, concluindo que os indígenas latino-americanos se beneficiaram menos do crescimento socioeconômico da região no período. Embora o número de indígenas pobres tenha caído, a desigualdade ficou inalterada ou ainda aumentou: “a pobreza afeta 43% da população indígena na região (mais do dobro da proporção de não indígenas), enquanto 24% de todos os povos indígenas vivem em extrema pobreza (2,7 vezes mais que a proporção de não indígenas)”, conclui o relatório.
Embora o Brasil possua estruturas e normas exemplares de reconhecimento cultural e de garantia de direitos dos povos indígenas, muitas políticas e ações que os afetam negativamente têm sido divulgadas pela mídia e gerado intenso ativismo e resistência.
Destacam-se propostas legislativas que pretendem modificar a forma de demarcação de terras indígenas e enfraquecer o seu caráter técnico, como a Proposto de Emenda à Constituição n° 215/2000, ou de facilitar a exploração por empresas privadas dos recursos naturais existentes nas terras já demarcadas.
Também há diversas denúncias do recrudescimento da violência gerada pelos conflitos possessórios com latifundiários, o que a própria Relatora Especial das Nações Unidas para os direitos dos povos indígenas, Victoria Tauli-Corpuz, afirmou em recente visita ao Brasil, em março de 2016. Assassinatos de lideranças indígenas e intimidações estão provocando verdadeiro genocídio de algumas etnias, como os Guarani-Kaiowá do Mato Grosso do Sul.
Além disso, a atuação do Poder Judiciário em interpretar os direitos constitucionais tem sido preocupante: a tese do marco temporal da demarcação, construída pelo Supremo Tribunal Federal no julgamento célebre da Terra Indígena Raposa Serra do Sol, diz que somente serão reconhecidas terras indígenas que estivessem ocupadas na data de promulgação da Constituição, em 5 de outubro de 1988. Esta regra arbitrária ignora a expulsão sistemática que indígenas vem sofrendo desde a colonização e tem sido aplicada para revogar demarcações já consolidadas e homologadas.
Por fim, a execução de grandes obras desenvolvimentistas, como a usina de Belo Monte, tem trazido impactos étnicos e ambientais amplamente documentados, inclusive de desestruturação total dos modos de vida tradicionais dos povos atingidos, o que foi considerado pelo Ministério Público Federal como ação “etnocida” do governo e das empresas construtoras da usina. 
A data de hoje deve ser motivo de comemoração da diversidade, mas também de visibilização das causas indígenas e de mobilização contra os retrocessos em curso.

Mantenha-se atualizado e curta as páginas no facebook:

Instituto Socioambiental:

Conselho Indigenista Missionário: 

Survival International:




5 de agosto de 2016

No dia 3 de julho, quarta-feira, o CRDH realizou a segunda edição do “Sarau Capoeira com Direitos”, em parceria com o Grupo Olùfé Capoeira do nosso voluntário, o contra-mestre Marcelo. O tema proposto para as intervenções artísticas foi o Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha, comemorado em 25 de julho.

A data foi instituída a partir do 1º Encontro de Mulheres Afro-latino-americanas e Afro-caribenhas, realizado pela Rede de Mulheres Afro-latino-americanas e Afro-caribenhas em 1992, em Santo Domingo, na República Dominicana, em reconhecimento às contribuições de luta e resistência da mulher negra à escravidão e ao racismo no continente e pela necessidade de se discutir as desigualdades raciais e de gênero de maneira interseccional, que colocam a mulher negra em desvantagem na sociedade mesmo em relação à mulher branca.

No Brasil, a Lei n° 12.987/2014, sancionada pela Presidenta Dilma, instituiu no dia 25 de julho o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra, em consonância com a data internacional e prestando homenagem à “Rainha Tereza”, como ficou conhecida líder quilombola. Tereza viveu no séc. XVIII no Vale do Guaporé, hoje Mato Grosso, e liderou o Quilombo de Quariterê, após seu companheiro, José Piolho, ser morto por soldados. O lugar abrigava mais de 100 pessoas, com aproximadamente 79 negros e 30 índios. O quilombo resistiu da década de 1730 ao final do século. Tereza foi morta após ser capturada por soldados em 1770.

Enquanto o projetor passava imagens e textos de mulheres negras ícones culturais e referências no enfrentamento ao racismo, tanto do passado como do presente, como Aqualtune, Dandara, Carolina de Jesus, o sarau passou a receber intervenções das pessoas presentes, com roda de capoeira, vídeos sobre a história da data e leitura de poesias.

Foram distribuídas poesias de poetisas conhecidas nacionalmente (ou nem tanto, considerando que o próprio ensino e cultura colocam as contribuições da mulher em papel subalterno) para as pessoas recitarem. Além disso, contamos com expressões autorais de mulheres que estiveram presentes, como a capoeirista Mariana, do Grupo de Capoeira Angola Áfricanamente, e de Lilian Rocha, do Sopapo Poético, que leu poesias suas publicadas em livro.


Para aquecer a todas e todos, foi servido um delicioso caldinho de feijão!







3 de agosto de 2016

O primeiro passo para a cidadania plena é o compromisso com o Voluntariado! No Brasil, o dia 28 de agosto de 1985, foi instituído como o Dia Nacional Do Voluntariado, por meio da Lei Nº. 7.352, sancionada pelo então Presidente da República, José Sarney. Desde então, essa data é comemorada por todas entidades e pessoas comprometidas com o Voluntariado.

A AVESOL e a PUCRS, por meio do Núcleo de Voluntariado, celebram o Dia Nacional do Voluntariado juntamente com aquelas e aqueles que fazem essa Rede de Solidariedade acontecer, os voluntári@s e as organizações sociais parceiras!

Venha comemorar conosco o Dia Nacional do Voluntariado, no dia 25 de agosto de 2016, das 17h às 19h30, no prédio 50 da PUCRS, 9º andar.

Com o espírito de cidadania e solidariedade para o fortalecimento da nossa Rede de Solidariedade, contamos com sua presença!!!!   


1 de agosto de 2016

Na tarde do dia 28/07/2016, o CRDH AVESOL realizou atividade com adolescentes do Programa Adolescente Aprendiz  do MDCA - Movimento pelos Direitos de Crianças e Adolescentes abordando o tema Democracia e Direitos Humanos. Os (as) jovens entre 15 e 17 anos promoveram grande debate de forma criativa e lúdica acerca dos eixos propostos, tais como: educação, participação, comunidade, eleições, juventude e violência. Ao iniciarmos a atividade trouxemos para a discussão a importância do Protagonismo Juvenil enquanto concretização de cidadania e garantia de direitos. Neste sentido, as ocupações das escolas públicas no RS serviram como exemplo, enquanto fato político e histórico, expondo de que forma os (as) jovens vem se posicionando diante da retirada de direitos deste Estado mínimo, e que ao que tudo indica se dirige cada vez mais para um Estado de exceções. 
As vivências dos (as) jovens trazidas em suas falas, ao retratarem a triste realidade das comunidades em que vivem, seja pela falta de políticas e serviços públicos, violências, ou, pelas remoções de comunidades inteiras em prol de interesses imobiliários e econômicos, legitimaram a ausência do estado diante das juventudes, especialmente as mais vulneráveis. Feminismo, violência homofóbica, segurança pública, moradia, foram outros temas abordados por eles (as).
      Neste sentido, apontaram de forma propositiva importância da participação dos (as) jovens nas mais diferentes esferas públicas e comunitárias, enquanto parte fundamental para o exercício de uma democracia plena.
Para tanto, cabe à todos (as) nós enquanto poder público e sociedade civil, dar Voz à essa juventude que, ao contrário do que dizem ser " a geração dos dedinhos" conectados apenas as redes sociais, estão atentos (as) aos acontecimentos políticos do país e interessados (as) em participar ativamente dos processos que visem a transformação social do Brasil.
Desta forma, nós enquanto Defensores (as) dos Direitos Humanos, temos o dever e a obrigação de dar validade aos artigos previstos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei n° 8.069/1990 e contribuir para a efetivação deste protagonismo. 
          Para ilustrar a atividade desenvolvida neste dia, buscamos nosso mestre Paulo Freire para dizer que, " A  educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas transformam o mundo". E assim seguimos!




YouTube

YouTube
Assitir vídeos da AVESOL no canal de YouTube

Categories

Notícias arquivadas

Tecnologia do Blogger.

Como Chegar

Principais Contatos

51 3221 2318

avesol@avesol.org.br

Seguidores