26 de março de 2018


No dia 24/03/2018 o Centro de Referência em Direitos Humanos – AVESOL realizou o lançamento do Projeto Araguaney de atenção a migrantes venezuelanos. Aproximadamente 80 pessoas participaram do evento, a maioria migrantes venezuelanos que vivem na capital e região metropolitana. Entre as autoridades estiveram presentes a Diretora do Departamento de Direitos Humanos da Secretaria Estadual de Trabalho, Justiça, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Sra. Maria da Graça Paiva, o Coordenador da Secretaria Municipal dos Povos Indígenas e Direitos Específicos responsável pela pauta dos migrantes no município Guilherme Fuhr e a Coordenadora do Programa Brasileiro de Reassentamento de Refugiados da ACNUR Karin Kaid Wapechoski. Também, representantes de entidades parceiras e que trabalham com migrantes Cibai, Paroquia Santa Clara, CESMAR.
Inicialmente houve um momento solene com a acolhida pela AVESOL e as autoridades saudaram os migrantes ali presentes, assumindo o compromisso com esta causa. Após seguiu-se com a apresentação do Projeto Araguaney e a fala do Professor Gustavo Chacón representando o grupo venezuelano que dirigiu algumas palavras aos presentes, às autoridades reiterando que os venezuelanos querem recomeçar a vida no Brasil e que para isso o que mais necessitam é trabalho, também agradeceu a iniciativa do CRDH-AVESOL em apoiar os migrantes.
O projeto Araguaney de atenção a migrantes Venezuelanos se caracteriza por atendimentos gratuitos no âmbito de demandas individuais e coletivas de migrantes. Entre as ações do CRDH estão o atendimento social e orientações sócio jurídicas; informações gerais para refugiados, solicitantes de refúgios e migrantes em geral; orientação e validação de documentos; orientações sobre direitos e como acessá-los, acompanhamentos de processo em geral, recebimento de denúncias de violações de direitos, xenofobia, trabalho escravo; encaminhamento para o trabalho e cursos de qualificação profissional, curso de português, confecção de currículos e preparação para entrevistas; encaminhamento para os serviços da rede pública de saúde, de assistência social e jurídica; apoio para inclusão no sistema público de ensino e orientações para validação de diplomas. Também a articulação política e em rede como a participação Fórum de Mobilidade Humana e em grupos de trabalho para criação e implementação de políticas públicas e projetos de lei para migrantes. O CRDH também promoverá a criação de eventos e atividades culturais para integração social, bem como, atendimentos de necessidades emergenciais através de ações pontuais de doação de alimentos e roupas, e outros encaminhamentos que se fizerem necessários.
O evento contou com apresentação cultural de música brasileira e poesia venezuelana, comidas e bebidas típicas da Venezuela, atividades para crianças incluindo a distribuição de doces e o estouro de uma piñata, brincadeira venezuelana. No final houve distribuição de alimento e roupas de inverno. O clima foi de fraternidade e solidariedade entre brasileiros e venezuelanos, o encontro promoveu o acolhimento e integração social. Com o lançamento do Projeto Araguaney o Centro de Referência em Direitos Humanos da AVESOL amplia seu campo de atuação na defesa e garantia de direitos humanos reafirmando seu compromisso com a sociedade como agente de transformação social.






23 de março de 2018





Na busca pela valorização do trabalho das pessoas mais humildes e que muito contribuem para a nossa sociedade, realizamos nos dias 21 e 22 de março de 2018 o primeiro Encontro da Rede Ideia de Catadores na Casa Marista da Juventude - CAJU. O encontro contou com a presença de mais de setenta participantes das Associações e Cooperativas de catadores de todo o Estado do Rio Grande do Sul.
 Além do encontro físico, de rever amigos e companheiros de luta, tivemos, também, um bonito encontro místico entre o passado e o presente lançando um olhar para vislumbrar um futuro melhor. Nesse encontro nos foi apresentado um pouquinho da história de Chico Mendes através do documentário "Chico Mendes - O preço da Floresta de 2010".  Esse brasileiro notável viveu num Brasil marcado pela ditadura militar, em uma época muito triste e muito difícil para quem quisesse um Brasil sem escravidão, com trabalhadores valorizados, direitos básicos atendidos e uma floresta Amazônica preservada.  Muitos morreram nessa época lutando pela preservação da floresta Amazônica, pelas reservas extrativistas e o direito a trabalhar dignamente. Chico Mendes morreu em 1988 perto do natal, mas nos deixou o seu legado de luta social, opção pelos pobres, cooperativas de extrativista, que além de gerar renda ainda preservam a Amazônia. Hoje as reservas extrativistas protegem uma área maior que Portugal. Chico nos deixou um ideal, sua inspiração, seu exemplo de coragem, de luta, de busca estudo e conhecimento para os mais pobres.  Antes da ecologia ser moda e aqueles que a defendiam pagavam com a própria vida ou sofriam na própria carne a dor de “fazer política o que nada mais era que a busca por educação, saúde, comida, moradia e etc.
De igual modo os catadores de materiais recicláveis são todos Chico Mendes e como dizia o Irmão Marista Antônio Cecchin “Os catadores são os profetas da ecologia” (in memoriam).  O Ir. Cecchin assim sofreu tortura pela ditadura militar por “fazer política” no sentido de ajudar os pobres a matar a sua fome e buscar melhores condições de vida. Mantendo vivo na memória o legado desses dois brasileiros corajosos que com audácia buscaram no povo mais pobre o sentido para suas vidas, pensando no acesso e disseminação de informações para, pelos e por catadores. 
Como forma de inclusão social e digital. Estamos procurando parceiros para nos utilizar das mídias sociais como ferramenta libertadora da exclusão social. Estamos dando um passo importante, construindo um método de formação e assessoria a distância para os catadores e grupos solidários. Com o objetivo de melhorar a comunicação, formação e acompanhamento dos grupos de trabalho assessorados pela Rede Ideia através do Programa Comunidade Produtiva.
Outras atividades foram realizadas como por exemplo uma pequena homenagem a Marielle Franco vereadora do Psol morta a tiros por jagunços modernos no estado do Rio de Janeiro.  É incrível notar que o Brasil de trinta ou quarenta anos atrás continua fazendo suas vítimas. A luta social, o “fazer política” de Chico Mendes e Ir Antônio Cecchin continuam vivos, em nossos corações, respirações e braços para o trabalhar. Nossa senhora Boa Mãe, rogai por nós os trabalhadores por um Brasil melhor.

21 de março de 2018


No dia 16 de março de 2018, o Programa de Voluntariado da AVESOL realizou uma visita a Instituição de Educação Infantil Nossa Senhora Aparecida- Ipanema para uma parceria junto ao Programa de Voluntariado da AVESOL.
A Instituição é uma Ação Social da Paróquia de Ipanema, e fica localiza na Av. Tramandaí, nº 395, no Bairro Ipanema em Porto Alegre RS.  Atende crianças de zero a seis anos, com creche e pré-escola com período integral.
Agradecemos a acolhida da Claudia Motta, Diretora da Instituição, e acreditamos que a parceria será um vínculo de Solidariedade e cidadania.



No dia 14 de março de 2018, o Centro de Referência em Direitos Humanos - CRDH realizou o primeiro Diálogos sobre Direitos Humanos do ano, com a temática “Mulheres e Direitos”.
O evento foi comemorativo ao mês da mulher e contou com as presenças de Luana Pereira, advogada e mestranda em sociologia, Debora Atunolá, coordenadora da Marcha Nacional do Orgulho Crespo RS, graduanda em Psicologia na Faculdade Cesuca, e Monique Machado, coordenadora do Coletivo Interfaces, graduanda em Psicologia na Uniriter.
As falas ressaltaram a importância da tomada de consciência da sociedade em relação ao machismo e ao racismo que permeia a sociedade brasileira. Explicitou-se o papel que a mulher negra tem hoje na sociedade. A tarde foi permeada de relatos e experiências dos participantes, tendo ocorrido uma dinâmica para mostrar os níveis de privilégio que existem e separam homens e mulheres, brancos e pretos.
Ao final do dia, todos presentes expressaram a satisfação em poder debater tão importante tema, com um público diverso. Naquele mesmo dia de noite, a desigualdade social e o papel da mulher negra na sociedade, tão debatidos durante o dia no evento, restaram explicitados quando se soube da execução da Vereadora Marielle Franco. Tal fato serviu para reforçar o acerto em abordar a temática da mulher, sob o enfoque racial, no evento realizado.





16 de março de 2018


O Programa de Voluntariado da AVESOL e o Núcleo AVESOL/PUCRS realizaram uma visita ao Educandário São João Batista, localizado no Bairro Ipanema em Porto Alegre, para uma parceria junto ao Programa de Voluntariado da AVESOL.
O Educandário é uma Instituição filantrópica,  que atende crianças e adolescentes com deficiência múltiplas, promovendo a  habilitação e a reabilitação  dos mesmos, proporcionando-lhes tratamento adequado e educação, objetivando sua melhor qualidade de vida e capacitação como cidadão.
Agradecemos a acolhida e  acreditamos que somando forças e apostando em um Voluntariado responsável  e comprometido,  a Solidariedade e a cidadania se farão presentes.


14 de março de 2018


No dia 12 de março de 2018, foi realizado na sede da AVESOL a reunião mensal do Programa Comunidade Produtiva - Rede Ideia, tivemos a participação do Centro de Referência de Direitos Humanos.
No encontro deste mês tivemos uma homenagem às mulheres! Assistimos ao documentário Maria – a história das mulheres no Brasil, que contextualiza a história das “Marias” do Brasil, mulheres que são referências no nosso dia a dia, que em meio as dificuldades enfrentadas buscam direitos iguais; o qual nossas participantes se identificaram e puderam relembrar o que já conseguimos conquistar nos últimos anos e debater a respeito da importância de continuarmos caminhando juntas, unidas nesta luta por direitos iguais!
Tivemos um momento de beleza, proporcionado pelo Grupo Magia das Unhas, nossas participantes aprovaram a ação.





13 de março de 2018


No dia 12 de março de 2018 a AVESOL e o Núcleo AVESOL/PUCRS realizaram uma visita a Instituição Vida Solidária, que se localiza na Av. Ipiranga  nº1509 , no acesso a Vila São Pedro, Partenon, Porto Alegre, para uma  parceria junto ao Programa de Voluntariado da AVESOL.
O Instituto Vida Solidária (IVS) é uma Associação sem fins lucrativos de assistência social que desenvolve ações de saúde, educação e cultura. Foi constituída em 09 de abril 2005 pela Associação Média do Rido Grande do Sul (AMRIGS) sua mantenedora.
Agradecemos a acolhida pela Coordenadora do Instituto Carmem Reis, e acreditando que de mãos dadas a solidariedade ficara mais forte.




O Centro de Referência em Direitos Humanos – AVESOL, no Mês da Mulher, convida todas e todos a participarem do primeiro “Diálogos sobre Direitos Humanos” deste ano. A conversa será dia 14/03/2018 a partir das 14h na Rua Almirante Barroso, 626, Porto Alegre/RS.

O bate-papo será com as seguintes convidadas: 
Luana Pereira, advogada, sócia-fundadora do escritório Pereira, Pinheiro e Faé, especializado em advocacia feminista, LGBT+ e antirracista; Assessora jurídica da THEMIS – Gênero, Justiça e Direitos Humanos; Mestranda em Sociologia pela UFRGS. 
Tema: conquistas de direitos, políticas públicas para mulheres, retrocessos, desafios e estratégias em relação a perda de direitos e diminuição da violência de gênero.

Débora Otunolá, Coordenadora da Marcha Nacional do Orgulho Crespo RS, do Projeto Através do Espelho e coletivo Gurias Crespas e Cacheadas; Integrante da RENAFROSAÚDE RS (Rede Nacional de Religiões Afro-Brasileiras em Saúde); Educadora social junto ao Projeto Ori Inu; Técnica de enfermagem; Graduanda em Psicologia na Faculdade Cesuca; Do axé e capoeirista da Escola Áfricanamente.

Monique Machado, Coordenadora do Coletivo Interfaces; Coordenadora da Marcha do Orgulho Crespo e Projeto Através do Espelho; Graduanda em Psicologia na Uniriter

Tema: Mulheres Negras: Resistência e Resiliência! A importância de nossa contribuição na sociedade contemporânea.

Participe! 




8 de março de 2018


Ao longo da história as mulheres lutaram muito e conquistaram direitos sociais, políticos e trabalhistas entre outros. No Brasil a Lei Maria da Penha foi um marco na prevenção e criminalização da violência contra a mulher, foram criadas políticas públicas que beneficiaram a vida das mulheres, como programas de transferência de renda, ampliação das creches que permitiram a muitas mulheres prover um mínimo para a família e melhores condições para trabalhar. Hoje já são mais de 40% os lares chefiados por mulheres, seja por necessidade ou opção, isso demonstra força, poder e protagonismo feminino.
Mas nem tudo são flores, o desmonte das políticas públicas, as reformas políticas e uma onda conservadora que vem assolando o país aumentam o risco de retrocesso destas conquistas, especialmente quando consideramos a dimensão racial, pois a mulher negra é a que mais sofre violência e a que mais tem seus direitos violados.  Mesmo com tantos mecanismos de defesa de direitos, ainda não conseguimos diminuir consideravelmente os números da violência contra mulher, a cada duas horas uma mulher é assassinada, a cada 2 minutos uma mulher é vitima de agressão psicológica e/ou física. A desigualdade de salários, da representação política e o machismo estrutural presente no Brasil são questões que precisam ser superadas. É necessário um debate constante sobre estes temas, pensar estratégias de luta, resistência e enfrentamento destes desafios ainda presentes na sociedade.
Neste 08 de março a AVESOL parabeniza todas as mulheres, em especial a nossas colaboradoras e assessoradas que tanto contribuem para a entidade. Acreditamos na força da mulher, no protagonismo feminino e reafirma o compromisso de lutar na defesa dos Direitos das Mulheres. Aproveitamos para convidar a todas e todos a participarem do primeiro “Diálogos sobre Direitos Humanos” deste ano, promovido pelo Centro de Referência em Direitos Humanos - AVESOL. A conversa será dia 14/03/2018 a partir das 14h na Rua Almirante Barroso, 626, Porto Alegre/RS. 


Assim, convidamos você a juntar-se a nós nesta luta pela defesa dos Direitos Humanos das Mulheres e aprofundar o debate!


6 de março de 2018


Dedicar tempo a uma atividade que beneficie diretamente a vida de outras pessoas sem que você receba alguma compensação monetária, mas uma ótima sensação de ter feito alguma diferença no mundo, é o trabalho voluntário.
Temos várias razões para realizar o mesmo, mas se destacam as seguintes:

- Exercer a Cidadania:
Através do Voluntariado se tem uma grande oportunidade de exercer seu papel como cidadão. E uma parte essencial dessa condição é desempenhar  um papel  ativo na transformação social.

-Aprender algo novo:
Se adquire novas habilidades, desempenhando talvez alguma atividade que nunca precisaria desempenhar em sua vida, ou com alguma tarefa que já esta acostumado a fazer, mas que irá aprender a lidar com novas situações, diferentes pessoas e necessidades. Por isso se torna enriquecedor, tanto para quem o desempenha quanto para quem é impactado por ele.

-Encontrar sua causa:
Com o Voluntariado você pode descobrir uma causa social que mude a forma como você encara as coisas e traga um novo sentido para si.

-Fazer o Bem:
Ser Voluntári@ envolve desempenhar atividades que vão impactar a vida de muitas pessoas que talvez você nem conheça, mas que irá fazer um mundo melhor.

-Viver uma experiência :
O Voluntariado é uma experiência única e que muda definitivamente a vida de milhares de pessoas . É uma chance de expandir horizontes, tornar-se mais engajado e trazer um impacto positivo para a sociedade.   

E é muito simples encontrar uma oportunidade para se engajar no Voluntariado.
Venha fazer parte dessa Rede de Solidariedade e fazer parte de um novo Mundo.

*Texto de Bruno Blume.




2 de março de 2018


No dia 09 de fevereiro de 2018, o Centro de Referência em Direitos Humanos – AVESOL realizou a atividade cultural “Arte e Cultura geram Paz” com a comunidade, em especial crianças e adolescentes, do Loteamento Santa Terezinha. As crianças ensaiaram marchinhas de carnaval, vestiram fantasias e se maquiaram. Os educadores do Centro Social Marista Irmão Bortolini também estavam com adereços para a atividade.
Antes de saírem para a rua, o bloco juvenil assistiu ao vídeo “Defenda-se”, recebendo orientações da equipe do CRDH sobre prevenção de abusos sexuais durante e depois do carnaval, como não sair com quem não se conhece, usar uma identificação ou pulseira caso venham a se perder, etc. Foi passado aos presentes que festejar o carnaval é um exercício do direito de brincar, previsto no art. 16 do ECA.
O bloco juvenil tomou as ruas com muita música e percussão. A equipe do CRDH distribuiu materiais aos moradores com informações de prevenção à DST/AIDS, camisinha feminina e sobre o art. 16 do ECA, que afirma o direito de brincar.
Todos seguiram pelas ruas, ao som da percussão, com as crianças cantando marchinhas de carnaval. Foi um momento muito bonito, pois ao fim da atividade estavam muitos moradores, pais e familiares das crianças e adolescentes integrados ao bloco, exercendo o direito de brincar.  







YouTube

YouTube
Assitir vídeos da AVESOL no canal de YouTube

Categories

Notícias arquivadas

Tecnologia do Blogger.

Como Chegar

Principais Contatos

51 3221 2318

avesol@avesol.org.br

Seguidores