6 de dezembro de 2018

Com a atividade cultural “África é Aqui”, por ocasião do mês da Consciência Negra, o CRDH-Avesol encerrou as atividades de 2018 no Bairro Mario Quintana, na Zona norte do Porto Alegre. Realizado durante toda a terça-feira (27), na Escola Municipal Wenceslau Fontoura, o evento teve a participação de mais de 200 pessoas, que contaram com oficinas, apresentações artísticas, feira de economia popular solidária e bate-papo sobre Direitos Humanos.
Durante o ano, alunos da escola e moradores da região participaram de diversos encontros promovidos pelo CRDH, em parceria com o Ministério dos Direitos Humanos, Secretaria Nacional de Cidadania. Os temas trabalhados englobam os eixos de cidadania, minorias, criança, jovem e adolescente, gênero e meio ambiente. A atividade de encerramento contou mostra de trabalhos e arte realizada pelo povo negro, oficinas de maracatu, midialivrismo, hip-hop, dança de rua e afro e de ritmos, além das apresentações dos grupos Tambores de Rua e Restinga Crew.
Parcerias que mudam a história da comunidade
O trabalho na comunidade é de fundamental importância para promover a consciência dos sujeitos nas comunidades da capital gaúcha. A supervisora pedagógica da escola, Alda Silveira, avalia positivamente as ações realizadas durante o ano, que culminaram nesse dia de encerramento. “Aqui estudam filhos e filhas de trabalhadores. É um bairro grande de Porto Alegre, que precisa de apoio cultural e em todos os sentidos. A gente é muito feliz de ter encontrado a Avesol, um grupo muito legal. O evento foi bem bonito, esperamos que nos próximos venham mais parcerias,” avalia.
A Ong Sociedade União da Vila dos Eucapiltos – SUVE foi uma das parceiras na realização do evento. O grupo nasceu na própria comunidade do Bairro Mario Quintana e está articulado na rede de promoção de Direitos Humanos, atuando nos arredores através da educação infantil, artes, oficinas culturais, defesa dos direitos humanos, informação, comunicação, esporte e proteção ao meio ambiente.
Como forma de dar visibilidade à importância do povo negro na constituição da cultura brasileira e de promover a autoafirmação na comunidade, a Ong Haja Luz esteve presente com exposição e contação de história afro-brasileira. A Isabete Almeida estava no estande da Ong e, com reproduções de pinturas realizadas por negros da época da Semana de Arte moderna, exemplificou: “Atuamos em escolas e comunidades com esse tipo de material que mostra que desde aquela época o negro era excluído, para mostrar aos alunos que desde lá tinham negros trabalhando e produzindo, mas não eram reconhecidos.”
O DJ Mário, da rádio Mídia Di Vila, outra apoiadora da atividade, ofereceu uma oficina de midialivrismo, juventude e hip-hop. Nela, foi trabalhada a perspectiva de que cada pessoa pode gerar sua própria informação. “No caso do bairro, incentivamos as ferramentas de comunicação para desmistificar a ideia que a mídia tradicional passa da nossa comunidade, que diz que é só um reduto de marginais. Com essa oficina a gente vem mostrar que não, que temos ações positivas, culturais e educativas que influenciam positivamente a vida desses jovens”, comenta o DJ.





Assista à transmissão ao vivo realizada direto da atividade cultural


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários com expressões ofensivas serão excluídos.

YouTube

YouTube
Assitir vídeos da AVESOL no canal de YouTube

Categories

Notícias arquivadas

Tecnologia do Blogger.

Como Chegar

Principais Contatos

51 3221 2318

avesol@avesol.org.br

Seguidores