15 de fevereiro de 2018


A missão iniciou em 18 de janeiro e foi concluída em 6 de fevereiro de 2018. Foram 8 participantes: Alejandra Quiroga (do Colégio Marista Santa Maria, do Chile), Jaquelini Scartezzini (estudante da PUCRS), Letícia de Castilhos (da Assessoria de Comunicação e Marketing dos Colégios e Unidades Sociais da Rede Marista), Luiz Carlos Pilotto (da Gerência Corporativa de Planejamento de Longo Prazo, da Rede Marista), Renato Pereira (da Assessoria Jurídica dos Colégios e Unidades Sociais da Rede Marista), Rogério de Castro (Pastoralista do Colégio Marista Rosário), Suzana (foi professora do Colégio Marista Santa Maria por 10 anos) e Milton Ferrari (professor aposentado de História). Sempre liderados pelo bravíssimo Irmão Nilvo Favretto e apoio da Rosimar de Almeida, da Coordenação do Voluntariado da Rede Marista. No retorno a Porto Velho ficamos com o Irmão Luiz também muito receptivo.
No primeiro domingo almoço festivo com bispo e sacerdotes da cidade de Lábrea. No encerramento outro almoço festivo na residência Marista.
Vivemos momentos de muito acolhimento, algumas dificuldades noutros, surpresas, mas tudo como uma grande família, abraçando as diferenças.
Nas manhãs da primeira semana tivemos atividades com crianças – estudantes do Colégio Santo Agostinho e de outras escolas da cidade. As tardes foram dedicadas as visitas às famílias que residem na beira mar, em palafitas – momento enriquecedor de diálogo com os ribeirinhos e indígenas. Às noites trabalhamos com jovens e adultos com palestras/dinâmicas e pequenos debates sobre diversos assuntos: afetividades e sexualidade, como lidar com os sentimentos, direito, cidadania e casa comum, paternidade responsável, relações familiares, planejamento familiar, política, escolha profissional, inovação e empreendedorismo, orçamento familiar, violência, drogadição, auto conhecimento e projeto de vida. Também a noite fizemos atividades de círculo bíblico, canto e oração do terço em casas de moradores. Tivemos a graça de contar com a participação do voluntário Rogério que toca violão e canta muito bem, animando todos os momentos. Também houveram visitas às Irmãs vizinhas do Colégio, aos presos e ao barco da saúde (que, inclusive, está parado a algum tempo por falta de voluntários do ramo).
No dia 27/1, sábado, iniciamos viagem de barco, emprestado pela Prelazia de Lábrea. Durante a viagem visitamos moradores da praia do Pirão, Tauaruã, Araçá, Vila Verde e Ilha da Onça. Neste período houveram celebrações, visitas às famílias e algumas palestras com jovens ribeirinhos e indígenas. Durante a viagem contamos com a companhia do comandante do barco, o Abnaide.
“Posso garantir que foi uma experiência vivida na Amazônia com profundidade espiritual, religiosa, política, de aprendizado, dificuldades e alegrias. Sentimos comunidades que valorizam o espaço em que vivem, surpreendem com sua clareza, simplicidades e alegria. Satisfeitos com o que tem, partilham tudo e dão um exemplo da presença de Deus em cada ato, em cada olhar, e em cada abraço. Podem sim buscar um desenvolvimento pessoal com nossa ajuda, mas sem ficarem dependentes e guardarem suas origens, tradições, línguas e comportamentos”, afirma o voluntário Pilotto.
Com o objetivo de realizar uma imersão voluntária em Lábrea, o grupo de voluntários teve a oportunidade de aprofundar temas referentes à cultura da solidariedade, de vivenciar momentos junto às comunidades ribeirinhas e indígenas, de promover atividades pedagógicas, esportivas e pastorais envolvendo a comunidade da região amazônica e de fomentar a sinergia e colaboração entre os espaços de missão da Rede Marista. 
O que mais encheu o meu coração de alegria foi conhecer as pessoas. O povo vive com simplicidade e, mesmo diante de tantos desafios, é solidário, acolhedor e muito feliz. Fazer voluntariado na região amazônica foi incrível. Jamais esquecerei essa experiência”, enaltece Letícia.
Agradecemos ao incansável Ir. Nilvo e ao Ir. Luiz pela atenção, carinho, paciência e pela expressão deles nas comunidades em que vivem. Projetos de Deus feitos no homem.

Luiz Carlos Pilotto e Letícia de Castilhos
Voluntários da primeira experiência de imersão de um grupo na região amazônica





Saiba como ser um voluntário marista na Região Amazônica

Critério:
Os/as candidatos/as deverão apresentar as seguintes condições:

·Ter vínculo marista (educandos/estudantes, ex-alunos/as, Irmãos, colaboradores/a, fraternos/as do MChFM, PJM, familiares)

·Ter idade igual ou superior a 18 anos

·Ter realizado experiênciasprévias de voluntariado

O processo preparatório ocorrerá da seguinte forma:
1.       Entrevista individual (a ser agendada previamente por meio do e-mail voluntariado@maristas.org.br)
2.       Preenchimento do formulário com dados pessoais, motivações e aptidões
3.       Participação nos encontros e reuniões propostos
4.       Elaboração do plano de desenvolvimento pessoal
5.       Assinatura do Termo de Adesão, preenchimento de cadastro, vacinas.

Caso seja colaborador, conversar com o gestor e coordenador de pastoral da Unidade. Estes farão contato com a Coordenação Provincial do Voluntariado (
voluntariado@maristas.org.br).
Quem não é estudante/aluno(a) ou colaborador(a) deve contatar diretamente a Coordenação Provincial do Voluntariado (voluntariado@maristas.org.br).








Reações:

Um comentário:

  1. Parabéns ao grupo de voluntariado da Amazônia.
    Experiência maravilhosa...

    ResponderExcluir

Comentários com expressões ofensivas serão excluídos.

YouTube

YouTube
Assitir vídeos da AVESOL no canal de YouTube

Notícias arquivadas

Tecnologia do Blogger.

Como Chegar

Principais Contatos

51 3221 2318

avesol@avesol.org.br

Seguidores