terça-feira, 13 de julho de 2021

 No dia 03/07 de 2021, o Centro de Referência em Direitos Humanos/AVESOL ministrou oficina para moradores da Vila 1º de Maio no Morro da Embratel, localizada na Estrada dos Barcelos, 2333, bairro Cascata, Porto Alegre/RS, sobre Associativismo.

O objetivo da oficina foi auxiliar os presentes a constituírem associação de moradores com o objetivo de defender os direitos dos residentes na região e promover direitos sociais fundamentais destes, seja por meio da regularização fundiária, serviços de convivência e fortalecimento de vínculos, seja com programas educativos para crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos.

De início, todos os presentes se apresentaram e referiram o histórico de associativismo na vila, que já possibilitou a instalação de posto de saúde no local. Ainda, a experiência do grupo de economia solidária assessorado pela AVESOL, Misturando Arte, cuja sede está localizada na vila, foi exposta como fundamental no auxilio a criação da associação de moradores ou para o resgate da antiga associação que hoje está desativada.

Assim, referiu-se os principais conceitos, direitos e deveres que envolvem a constituição, funcionamento e prestação de contas das associações. Apontou-se que a principal legislação aplicável é o Código Civil, artigos 53 a 61. Apontou-se que a associação é a união de pessoas para fins não econômicos e a importância do estatuto prever desde o nome da associação, seus fins, o local da sede, os requisitos para a admissão, demissão e exclusão dos associados, os direitos e deveres dos associados, as fontes de recursos para sua manutenção, o modo de constituição e de funcionamento dos órgãos deliberativos e as condições para a alteração das disposições estatutárias e para a dissolução. Ainda, foi dito que os associados devem ter iguais direitos, mas o estatuto poderá instituir categorias com vantagens especiais.

Ao depois, explicou-se a importância da realização de assembleias gerais anuais para o bom funcionamento da associação, com a devida prestação de contas, eleição da diretoria e órgãos executivos, se houver, bem como o registro destes atos em cartório. Além disso, referiu-se que, mesmo se a associação não tenha bens ou não faça movimentação de recursos financeiros, é preciso realizar a declaração anual de tributos perante os órgãos fiscais competentes, sob pena de multa e impedimentos ao CNPJ da associação.

Debateu-se sobre a sustentabilidade dos empreendimentos associativos, que envolve a plena ciência de todas as pessoas envolvidas acerca de suas responsabilidades com a associação, identificando-se os pontos fracos e fortes sobre a gestão da associação. Nesse sentido, os objetivos do grupo, os princípios básicos, as expertises das pessoas envolvidas, entre outras questões, devem ser bem esclarecidas.

Por fim, apontaram-se os quatro passos básicos para fundar a associação: (1) convocação e mobilização dos interessados; (2) realização da assembléia geral de fundação; (3) elaboração, discussão e votação do estatuto; (4) posse da diretoria; (5) por fim, registro legal das atas e do estatuto.  

Os participantes disseram que a oficina foi muito produtiva para solver as principais dúvidas sobre como reativar a antiga associação de moradores já constituída ou para que uma nova fosse criada, sempre em defesa dos moradores e interesses da comunidade da Vila Primeiro de Maio.

 








0 comentários:

Postar um comentário

Comentários com expressões ofensivas serão excluídos.

YouTube

YouTube
Assitir vídeos da AVESOL no canal de YouTube

Notícias arquivadas

Tecnologia do Blogger.

Como Chegar

Principais Contatos

51 3221 2318

[email protected]

Seguidores