2 de outubro de 2015

8° SEMINÁRIO DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE VIAMÃO
“Parece que foi ontem, que um grupo de mulheres resolveu se organizar e vender seus artesanatos no centro da cidade como forma de sustentar suas famílias e lá se vai mais de 30 anos não consigo me recordar de todos que estavam com nós, mas foi ali que começou nossa história”. (Gladis Fraga) 
No dia 28 de setembro, o Fórum Municipal de Economia Popular Solidária do Município de Viamão comemorou seu 16º aniversário promovendo o 8° Seminário Municipal de Economia Popular Solidária. O evento contou com a participação da AVESOL – Associação do Voluntariado e da Solidariedade, o qual mediou o encontro através do colaborador Douglas Filgueiras, mediador, e do Irmão Miguel Orlandi, membro do Conselho Diretor, como palestrante.  Também fizeram parte da mesa: o Secretário do Trabalho, Emprego e Renda do Município de Gravataí, Denner Leopoldo, a Secretária Adjunta, Tais da Silva Marcelino, e a senhora Gilvana Wagner,  Coordenadora do Fórum Municipal de Economia Popular e Solidária do Município.
O evento também contou com a presença do ex-prefeito e vereador Eliseu Fagundes Chaves – RIDI, do vereador Sérgio Antonio Kumpfer, do Vereador Leandro Aguirres e a senhora Ester Hessenling, ex-vice-prefeita do município.
Na parte da manhã, o tom do debate foi de perspectiva histórica, com definição do modelo econômico e seu ciclo de acumulação no sistema capitalista,caracterizando a formação de grandes riquezas no mundo, em que o projeto oferecido está calcado no individualismo. A busca por novos rumos e por uma saída concreta ao desemprego, precedida por grandes mobilizações, pela insatisfação dos resultados políticos desse modelo, e faz com que se antecipe, de forma incipiente, uma proposta de planificação social da economia, denominando-se como economia social, em alguns países da América latina, se popularizando no Brasil como economia solidária. Propondo a humanização das relações de trabalho, com perspectivas que vão além do sistema vigente, até mesmo um conceito que de longe nosso país só ouviu falar, como bem estar social, a economia solidária nasce com uma proposta clara de superação ao capitalismo.

Durante a tarde, os EES compartilharam suas experiências. sonhos e relatos, como o da senhora Gladis Fraga “Parece que foi ontem, que um grupo de mulheres resolveu se organizar e vender seus artesanatos no centro da cidade como forma de sustentar suas famílias e lá se vai mais de 30 anos não consigo me recordar de todos que estavam com nós, mas foi ali que começou nossa história”. Demonstrando na prática que a ideia de que não é mais resolvendo de forma individual, mas com ações coletivas que poderemos oferecer um projeto de transformação, ocupar espaços públicos, disputar um novo projeto e fazer algo, mas a forma coletiva é a grande marca da economia solidária. Para isso é preciso nos mantermos organizados. A partir dos fatos levantados no seminário foi proposto como iniciativa uma frente parlamentar para que se discuta de forma madura o espaço da economia solidária no na administração pública. 





Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários com expressões ofensivas serão excluídos.

YouTube

YouTube
Assitir vídeos da AVESOL no canal de YouTube

Notícias arquivadas

Tecnologia do Blogger.

Como Chegar

Principais Contatos

51 3221 2318

avesol@avesol.org.br

Seguidores