4 de dezembro de 2015

A resistência e a luta por um mundo mais solidário abriram oficialmente a 17º Feira Estadual de Economia Popular Solidária, seguida pelo Seminário “Cultura e Economia Solidária” no dia 02 dezembro de 2015, às 9 horas, também inaugurando o auditório da Casa de Economia Solidária (Rua Vigário José Inácio, 303). O ano de 2015 foi de lutas e reafirmação da relevância da Economia Solidária para trabalhadoras e trabalhadores que de forma coletiva buscam a sustentabilidade econômica, política, social e ambiental. Através da Subcomissão de Economia Solidária foram realizadas as audiências públicas e reuniões técnicas pelo Estado, possibilitando voz aos Empreendimentos Econômicos Solidários, que gritam por reconhecimento e apoio ao fortalecimento dessa política pública. Neste mesmo ano, a 17º FEEPS está sendo realizada somente com esforço dos Empreendimentos Econômicos Solidários, sem o investimento público previsto, mas esse protagonismo traz um brilho de luta e resistência daqueles que vivem a prática da Economia Solidária. 
O Secretário da SMIC, Sr. Antonio Cleber, que representou o Prefeito de Porto Alegre, acolheu em sua fala a Feira Estadual no Largo Glênio Peres, apontando a importância da realização da Feira para a cidade reconhecendo a economia solidária, com suas expressões culturais e organização coletiva e autogestionária.  
A cerimônia de abertura foi momento de reafirmação da importância da Economia Solidária para a construção de uma sociedade mais humana, solidária e inclusiva economicamente, de acordo como Ir. Miguel Antonio Orlandi, da AVESOL, precisamos deixar de buscar acumulação de bens para ser uma sociedade mais cumulativa na qualidade de vida e bem estar, exercer a solidariedade como princípio.

Após, aconteceu o Seminário “Economia Solidária e Cultura” ministrado por Leila Betim, do Ministério da Cultura (MINC). A Feira Estadual de Economia Popular Solidária do RS já realizou sua auto declaração na Plataforma do MINC, através da AVESOL, como Pontão de Cultura, buscando somar forças, pois a prática da Economia Solidária é a expressão cultural do povo, seja nas artesanias, na alimentação, na forma de organização e desenvolvimento territorial. Dentro de um sistema sem espaço para todos, com culturas dominantes, economia de privilégios a poucos, busca-se alternativas de bem viver e inserção sócio produtiva, com respeito as acúmulos e conhecimentos que são praticados nas comunidades e famílias, passados de geração para geração.  Também aconteceram apresentações musicais e a apresentação dos Fóruns Regionais, conectando os territórios com as expressões culturais.




Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários com expressões ofensivas serão excluídos.

YouTube

YouTube
Assitir vídeos da AVESOL no canal de YouTube

Notícias arquivadas

Tecnologia do Blogger.

Como Chegar

Principais Contatos

51 3221 2318

avesol@avesol.org.br

Seguidores