20 de fevereiro de 2020


No dia 19 de fevereiro de 2020, o Programa de Voluntariado da AVESOL realizou uma visita para firmar a parceria e assinatura do Termo de Convênio na AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente), localizada no bairro Jardim do Salso, Porto Alegre - RS. A AACD está entre os melhores Hospitais de Ortopedia e é referência em qualidade no tratamento de pessoas com deficiência física do país.
O trabalho Voluntário faz a diferença na Instituição, pois é por meio de ações eficazes que os Voluntá[email protected] se envolvem de corpo e alma em prol dos pacientes, colaboradores e toda Comunidade AACD.
Agradecemos a acolhida pela Lisiane Dutra, Assistente Administrativo e acreditando sempre que o Voluntariado é movido por participação e Solidariedade para uma transformação social. 



13 de fevereiro de 2020


As ações planejadas com os grupos de economia solidária no início de 2019 possibilitou grandes realizações durante o ano. Com base nestas ações foi possível:
* Realizar 210 assessorias para 89 grupos de economia solidária.
* Iniciar o Fundo Rotativo Solidário.
* Retomar o processo de compras coletivas. 
* Aumentar a rede de parceiros que apostam nas iniciativas da Rede Ideia.
* Aumentar o número de participantes nas formações por plataformas digitais.
* Gerar conteúdo relacionado à Economia Solidária e Desenvolvimento Sustentável.
Nos dias 13 de janeiro e 10 de fevereiro de 2020, estiveram reunidos os representantes dos grupos de Economia Solidária que fazem parte da Rede Ideia. Os dois encontros debateram os desafios para economia solidária dentro do cenário político de 2020 e assumiram o compromisso em promover ações voltadas ao desenvolvimento humano. 
Sabemos dos desafios de colocar em pratica ações que contribua para emancipação econômica e social, para isso temos como estratégia ações colaborativas entre os grupos de economia solidária que fazem parte da Rede Ideia.
Convidamos a todas e todos que defendem e acreditam em práticas econômicas que respeitem o meio ambiente e as pessoas a se somar neste Rede de Solidariedade.




Participamos do Fórum Social das Resistências dias 23 e 24 de janeiro em três atividades com os temas: 1) direitos dos povos, territórios e movimentos sociais, 2) convergência migrações contra o racismo e xenofobia e 3) assembleia dos povos.
Na primeira mesa foram abordadas, nas falas dos/as palestrantes e as intervenções dos/as participantes, a necessidade de luta pela democracia no contexto brasileiro, a luta comum entre os povos por melhores condições de vida, uma mudança nos paradigmas econômicos para substituir a concorrência pela solidariedade mundial, o Fórum Social, simultâneo ao Fórum Econômico de Davos, deveriam ter interesses na busca da justiça social e não apenas nos lucros. É um absurdo que os exportadores não paguem impostos e todo custo social recaia aos assalariados. Tratar a política como um fenômeno humano para o bem comum e não o velho “toma lá, dá cá”. É preciso exercer a cidadania pelo voto e eleger pessoas para nos representar, mas não eleger para que a classe política nos substitua como povo. 
O debate sobre as migrações é de extrema importância para os direitos humanos e estivemos presentes na convergência que fez uma conjuntura internacional e teve a fala do Fórum Permanente de Mobilidade Humana, espaço que construirmos coletivamente. A experiência das mulheres do Curdistão foi muito impactante, disseram que a luta das mulheres engloba toda luta por liberdade de outras minorias e acaba por ser o ponto central de unidade.
A assembleia dos povos teve uma metodologia de apresentação das sínteses das atividades que compunham toda programação do Fórum Social e foi um espaço de celebração dos trabalhos realizados. Na mesa sobre igualdade e direitos humanos foi colocada a centralidade na disputa da narrativa na sociedade, o acesso à justiça, denúncia e incidência internacional das violações de direitos e a necessidade de coletarmos e produzirmos um banco dados sobre os crimes as minorias.        



Realizamos, no dia 31/01/20, uma oficina sobre os Direitos da Juventude na Ensino Social Profissionalizante – Espro para 12 pessoas. Iniciamos exibindo um áudio visual sobre o Estatuto da Juventude. Contextualizamos o Estatuto considerando a Constituição Federal e o Estatuto da Criança e Adolescente. Apresentamos os objetivos, a importância do Estatuto da Juventude e alguns dados populacionais e sociais necessários para a análise coletiva. 
Fizemos a leitura de alguns artigos de interesse geral e comentamos brevemente os onze direitos da juventude expressos nesse documento. Em formato de roda de conversa fomos dialogando sobre as dúvidas e experiências vividas pelos jovens. Conhecidos os direitos passamos para um momento de saber as políticas públicas vigentes. Pesquisamos os sites do governo federal, estadual e municipal e reunimos informações sobre os programas existentes e o funcionamento para acesso as políticas. Explicamos os requisitos e forma de solicitação da ID jovem, no âmbito estadual falamos sobre as ações do programa oportunidades e direitos que viabiliza os Centros de Juventude na região metropolitana e o Projovem como uma ação municipal de êxito. 
Concluímos a atividade entregando nossos folders de divulgação do CRDH e nos colocando à disposição dos jovens para acolhe-los e orienta-los em qualquer situação de dúvida ou necessidade de planejamento em sua vida.    



YouTube

YouTube
Assitir vídeos da AVESOL no canal de YouTube

Notícias arquivadas

Tecnologia do Blogger.

Como Chegar

Principais Contatos

51 3221 2318

[email protected]

Seguidores