sexta-feira, 20 de maio de 2022

 No dia 18/05 de 2022, o Centro de Referência em Direitos Humanos-AVESOL, em ação de conscientização sobre o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, ministrou oficina sobre Prevenção a Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes para educadoras da Casa Madre Giovanna, de forma online, devido às condições climáticas causadas pela passagem de tempestade tropical em Porto Alegre/RS.  

O objetivo da oficina foi promover a reflexão sobre as formas de identificação do abuso sexual contra crianças e adolescentes e os fatores de risco e proteção contra esta forma de violência. Após contextualização sobre a origem da data do dia 18 de maio, instituída pela Lei 9.970/2000, para lembrar o “Caso Araceli”, menina que foi brutalmente violentada, abusada e assassinada neste dia em 1973 no Brasil, passou-se a conversar sobre o tema com as educadoras presentes.   Houve a definição de alguns termos importantes para o debate como o que é um abuso sexual, que envolve sempre um abuso de poder e violação do consentimento, bem como as definições legais de criança e adolescente, conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente.  Os fatores de proteção foram apontados como essenciais, como gerar autoconfiança e ambientes saudáveis para as infâncias, fortalecendo também as competências parentais de quem as cuida. 

Ressaltou-se que, quando o abuso ocorre, não há uma “síndrome de abuso” plenamente identificável, mas que alguns sinais e indicadores são possíveis de serem avaliados e investigados, como perda de confiança, silêncio, vestígios físicos, alterações no comportamento, depressão, entre outros.  

Para manter as crianças seguras, debateu-se sobre os perfis dos agressores e as táticas usadas, que envolvem a superação de inibições internas (do agressor), externas (da sociedade) e inibições da vítima, seduzindo-a. O problema do abuso intrafamiliar também foi abordado, pois muitos dos casos de violência ocorrem dentro de casa.  

Por fim, a questão do acesso às mídias e pornografia de forma precoce pelos jovens foi debatida como um fator de risco para as infâncias e juventudes, que acabam recebendo abordagens inadequadas sobre comportamentos sexuais, facilitando que se tornem tanto abusadores, como vítimas.  Houve intensa participação das educadoras presentes na oficina que demonstraram grande interesse no tema, afirmando o papel essencial que exercem na prevenção e identificação dos abusos sexuais contra crianças e adolescentes.  




 Aconteceu entre os dias 02/05 à 07/05/2022 a 11ª Feira da Economia Solidária do dia das Mães no Lago Glênio Peres – Porto Alegre/RS.  Depois de 12 anos aproximadamente 250 trabalhadoras e trabalhadores integrantes da Economia Solidária expuseram seus empreendimentos das 8:30hs às 19:00hs em frente mercado público. Estava a venda, artesanatos, confecções e gênero alimentícios da agricultura familiar. 

Foram 43 estandes  grupos de empreendimentos solidários e da agricultura familiar, que se fizeram presente na 11ª edição, disponibilizando para a população visitar e conhecer os seus produtos e  partilhando seus saberes, sobretudo, construindo uma nova forma de pensar a economia, baseada nos princípios da solidariedade, buscando assim, a construção de uma sociedade mais justa e igualitária , por isso  a ideia não é apenas vender, mas tirar as pessoas de situações de desestabilidade por meio do trabalho coletivo onde o lucro é repartido. “A feira é tudo! Participo desde a primeira edição, toda minha renda vem da feira. Esse período de pandemia foi difícil, quase entrei em depressão. Nem queria pegar mais nas máquinas de costura, meu sustendo vem daqui, além do convívio e partilha de vida e convívio social que a gente tem nas feiras”. fala de uma artesã.  A organização do Fórum Municipal de Economia Popular Solidária de Porto Alegre e dos empreendimentos solidários é fundamental para que esta não seja uma ação isolada, e ganhe cada vez mais autonomia, para que seja um movimento permanente.






Na tarde do dia 09 de maio de 2022, aconteceu o Encontro Mensal da Rede Ideia com 30 integrantes de diferentes Grupos da Economia Solidária.  As pautas do encontro foram: Participação dos grupos na FEICOOP 2022 e o documento da IV Plenária Nacional de Economia Solidaria: Economia Solidaria: Autogestão como Estratégia de Resistencia e Alternativa à Crise do Capitalismo, na Luta Pela Radicalização da Democracia.

A acolhida ocorreu com indagação, quais os temperos que temos e os que não temos nos nossos grupos de trabalhos e convivência? o que gerou a dança circular TEMPERANÇA, onde todas e todos foram convidados a entrar na ciranda da vida através do movimento do corpo e do ar que respiramos para colocarmos os temperos na nossa vida e caminhada de luta do nosso dia a dia, esse momento foi conduzindo pela educadora Franqueana. Logo depois a educadora Franqueana falou de como está a organização dos grupos para ida a Santa Maria, FEICOOP 2022, um pequeno relato da realidade atual das mudanças ocorrida de organização da FEICOOP 2022 com a saída da Ir. Lourdes de Santa Maria, como nos organizar como coletivo da REDE IDEIA – AVESOL, foi visto a questão de ônibus, hospedagem e alimentação durante os 03 dias da feira, 20 grupos confirmaram a participação na FEICOOP 2022, ficou para Franqueana procurar e avaliar mais alguns lugares de hospedagem em Santa Maria/RS.

No segundo momentos o coordenador Douglas, dividiu os participantes em 5 grupos para estudar o documento da IV plenária, antes de começar a discutir o tema da Plenária, o que foi feito em forma de oficinas, o grupo fez memória da economia solidária e seu posicionamento diante,   o momento foi também  cominado com o café de convivência  após a leitura nos grupos, trouxeram para plenário maior, colocaram a importância da economia solidaria como um forte suporte de sustentabilidade, mas que os governantes precisa reafirmar o compromisso de apoio reabrindo as secretarias municipais, estaduais e nacional de economia popular, “quando nós trabalhamos na linha da sustentabilidade ou da responsabilidade social, nós somos capazes de deixar para as gerações futuras um meio ambiente propício e com os recursos naturais necessários. A “Economia Solidária se mostra como a alternativa correta para isso, além de ser uma tendência mundial”. Fala de uma participante.      





O Voluntariado pode desenvolver a cultura do empreendedorismo popular social, bem como o seu aprimoramento.

Nesse sentido, o Programa de Voluntariado da AVESOL e o Núcleo AVESOL-PUCRS realizou uma visita para firmar mais uma parceria com o Instituto Ascendendo Mentes.

O mesmo se localiza no Bairro Glória em Porto Alegre, cuja missão é ascender talentos dos jovens em vulnerabilidade social através do afeto, educação emocional e profissional, em sinergia com o mercado de trabalho, para uma vida plena e sustentável.

Agradecemos a acolhida pela Coordenadora do Instituto, Nina Cardoso, acreditando nos valores da Instituição que é: “ascender é acreditar nas pessoas, acolher as diferenças, cuidar das emoções e garantir resultados sustentáveis”.



YouTube

YouTube
Assitir vídeos da AVESOL no canal de YouTube

Notícias arquivadas

Tecnologia do Blogger.

Como Chegar

Principais Contatos

51 3221 2318

[email protected]

Seguidores